Nosso cérebro precisa de apenas 13 milissegundos para identificar imagens
20
Compartilhamentos

Nosso cérebro precisa de apenas 13 milissegundos para identificar imagens

Não há dúvidas de que nosso cérebro funciona a uma velocidade impressionante, mas você acha que seria capaz de identificar uma dúzia de imagens em uma fração de segundo? Pois saiba que uma equipe de neurocientistas descobriu que o cérebro humano pode realizar uma tarefa como essa com facilidade.

Pesquisadores americanos revelaram que nosso cérebro é capaz de interpretar imagens captadas pelos olhos em apenas 13 milissegundos. Essa velocidade se mostrou quase 8 vezes superior aos 100 milissegundos que haviam sido determinados em um estudo anterior. Quer processamento mais rápido do que esse?

O experimento

Para chegar a essas conclusões, os pesquisadores realizaram um experimento em que os participantes precisavam procurar um tipo específico de imagem – como um piquenique ou um casal sorrindo – enquanto viam uma série de 6 ou 12 imagens apresentadas com intervalos de 13 a 80 milissegundos.

“O fato de você poder fazer isso em velocidades tão altas nos mostra que a função da visão é encontrar conceitos. E é isso o que o cérebro faz o dia todo – tentar entender o que estamos vendo”, explica Mary Potter, professora de Ciências Cognitivas e do Cérebro no MIT e principal autora do estudo, que foi publicado no periódico Attention, Perception, and Psychophysics.

GIF divulgado pelo MIT simula a velocidade das imagens. Fonte da imagem: Reprodução/MIT News

Os neurocientistas também notaram que o rápido processamento ajuda no direcionamento dos olhos, que mudam de posição três vezes por segundo. Depois que uma imagem chega à retina, informações como o formato, a cor e a orientação são processadas pelo cérebro.

“O trabalho dos olhos não é apenas enviar as informações para o cérebro, mas permitir que ele pense sobre isso rápido o suficiente para saber onde olhar em seguida. Então, em geral, calibramos nossos olhos para que se movam com a mesma frequência com que entendemos o que estamos vendo”, completa a especialista.

Muito além da imagem

Apesar da marca de 13 milissegundos ser suficiente para identificar uma imagem, o estudo sugere que o cérebro continua a processar as imagens por um período maior.

“Se as imagens fossem apagadas depois de 13 milissegundos, as pessoas nunca seriam capazes de responder positivamente no final da sequência. É preciso que haja alguma coisa no cérebro que mantenha essa informação por mais algum tempo”, disse Potter.

Fonte da imagem: Shutterstock

A pesquisadora já havia comprovado anteriormente que as pessoas eram capazes de identificar corretamente imagens vistas a 100 milissegundos, mas o novo estudo resultou em um recorde muito mais impressionante. A exposição de imagens no experimento foi realizada a 13 milissegundos porque essa era a velocidade máxima a que os computadores podiam chegar.

Então fica a dúvida: será que nosso cérebro pode ser ainda mais rápido do que isso? Compartilhe sua opinião conosco nos comentários.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.