Descubra como grãos integrais podem auxiliar no funcionamento do seu fígado

A Associação Americana de Pesquisa do Câncer (American Association for Cancer Research — AACR) apresentou uma nova descoberta em sua última reunião anual que ocorreu na primeira terça-feira desse mês (01/04). 

Já se sabe que dietas ricas em fibras alimentares e grãos integrais têm sido associadas a inúmeros benefícios na saúde e à diminuição do risco de resistência à insulina e níveis muito altos no sangue, além da redução da atividade inflamatória no corpo. Uma informação relevante é que essas disfunções citadas possuem uma ligação direta com o carcinoma hepatocelular, o tipo mais comum de câncer de fígado.  

Reprodução/Dicas de Mulher

Pensando nisso, cientistas decidiram testar  — de modo mais objetivo — se essas dietas seriam possíveis métodos de prevenção contra essa doença. Para tanto, dois bancos de dados estadounidenses foram utilizados: o Nurses' Health Study, iniciado em 1976 e composto apenas por mulheres e o Health Professionals Follow-Up Study, iniciado em 1986 e exclusivamente masculino. 

A cada 4 anos, por um período de 32 anos, os integrantes de ambas as pesquisas preencheram questionários acerca de seus hábitos alimentares. Dentro deste intervalo de tempo, 141 dos mais de 125.000 indivíduos receberam um diagnóstico de carcinoma hepatocelular.

Reprodução/Da Magrinha

Xuehong Zhang, professor assistente de medicina na Escola Médica de Harvard, afirmou durante uma palestra que a equipe comprovou a interferência da ingestão de grãos integrais na prevenção desse tipo de câncer. O estudo foi ainda mais a fundo:  uma parte específica dos grãos responsável por esse atributo foi identificada.

São 3 partes principais que compõem esses grãos: a camada externa, chamada farelo; o endosperma, camada intermediária e o gérmen, núcleo da semente. A farinha, o pão e o arroz brancos, constituem grãos integrais que passam por um processo no qual o farelo e o gérmen são removidos. O endosperma, único restante, possui algumas proteínas e vitaminas, mas é composto sobretudo de carboidratos ricos em amido.

Reprodução/Mercado Livre

Por outro lado, o farelo e o gérmen, contêm vitaminas, minerais, fitoquímicos e gorduras saudáveis — nutrientes indispensáveis. Os pesquisadores descobriram que consumir uma quantidade maior de farelo, em relação às outras partes do grão, diminui ainda mais o risco de ter carcinoma hepatocelular. Essa descoberta, no entanto, não alcançou relevância estatística suficiente.

Além disso, algumas falhas foram encontradas no estudo. Uma delas, vale dizer, estava no fato de que 95% dos indivíduos estudados eram brancos. "Se o resultado não pode ser generalizável para outros grupos, é preciso investigar mais.", declarou o doutor Zhang.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.