Grupo antivacina é imunizado mesmo após pagar propina na Grécia

Um grupo de protestantes antivacina foi pego de surpresa ao acabarem sendo vacinados contra a covid-19 na Grécia. Depois de terem subornado médicos para receberem água no lugar do imunizante, os profissionais da saúde acabaram embolsando o dinheiro e aplicando as doses verdadeiras no lugar.

Assim como ocorre nos Estados Unidos, onde os movimentos antivacina têm tomado grandes proporções, a Grécia é um dos países europeus enfrentando o mesmo tipo de problema. Em algumas partes da Europa, sobretudo no Mediterrâneo, práticas como a “vacinação falsa” passaram a ganhar muita força entre os protestantes.

Passaporte vacinal

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Atualmente, a Grécia adotou o passaporte de vacinas em seus espaços de trabalho, o que garante algumas regalias para indivíduos que já receberam as duas doses/dose única da vacina contra covid-19, enquanto aplica certas penalidades e restrições para aqueles que recusam se imunizar.

Por esse motivo, muitos manifestantes antivacina andam buscando formas de burlar as restrições sem ter que “ignorar suas convicções”, como pedir para que os médicos apliquem água no lugar das vacinas. De acordo com os dados locais, estima-se que de 100 a 200 centros de vacinação gregos tenham participado do esquema.

Para isso, seria cobrado de cada paciente 400 euros (R$ 2,5 mil, aproximadamente) para que as doses reais fossem substituídas na seringa. Porém, a fraude acabou dando errado para algumas pessoas, que posteriormente descobriram ter recebido a vacina de verdade após pagarem a propina. Como a prática é ilegal no país, não existe forma de reaver a quantia monetária.

Medo de retaliação

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Para quem pensa que os médicos agiram eticamente durante todo o processo, não foi bem assim que as coisas aconteceram. Desde setembro de 2021, a Grécia estabeleceu uma série de punições para os locais que distribuíssem certificados falsos de vacinação para os pacientes. 

Desde o início da campanha de vacinação, acredita-se que pelo menos 100 mil gregos tentaram adquirir o passaporte vacinal de maneira ilegal. Segundo informações divulgadas pela televisão grega Mega, os médicos que se recusaram a participar do esquema e embolsaram o dinheiro fraudulento fizeram mais por medo de uma possível retaliação do que por convicção pessoal.

Risco de fraudes

(Fonte: Unsplash)(Fonte: Unsplash)

A vacinação falsa não tem sido o único método usado pelos antivacina para fugir da vacinação, o que inclui algumas ideias totalmente mirabolantes. Há algumas semanas, um indivíduo foi pego em Melbourne, na Austrália, tentando vender uma prótese completa de um braço para que as pessoas utilizassem na hora de receber a vacina da covid-19.

O braço, que supostamente custaria cerca de US$ 1,5 mil, foi encontrado online com a seguinte descrição: “Braço protético (esquerdo ou direito). Use-o para a vacinação. Melhor usado sob uma jaqueta de inverno para disfarçar as diferenças. Disponível em várias cores de pele. Entrega expressa”. 

No entanto, não houve até agora qualquer registro de vendas do produto ou de que esse tipo de prática tenha funcionado em algum ponto de vacinação ao redor do mundo. 

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.