Descubra os riscos de lavar as mãos com sabão antibacteriano
662
Compartilhamentos

Descubra os riscos de lavar as mãos com sabão antibacteriano

Último Vídeo

Desde pequeno, nós somos ensinados a lavar as mãos antes de comer. “Não quer ficar doente? Lave as mãos com sabonete antibacteriano”. Além dos incentivos dos pais, nos comerciais tradicionais sempre vemos uma família feliz da vida “eliminando 99,9% dos germes” com esse tipo de produto. E se dissermos para você que, na verdade, esse tipo de sabão é muito perigoso para a saúde e que não serve para nada?

Provavelmente, toda vez que você lava as mãos utilizando um sabonete antibacteriano você deve se sentir bem, pois está removendo as bactérias e sendo alguém mais saudável. Mas dê uma olhada na embalagem e verá que o produto possui triclosan – um elemento químico que pode atrapalhar nas funções musculares em humanos.

C/O Gerd

Uma pesquisa publicada na Proceedings of the National Academy of Sciences sugere que o triclosan atrapalha nas contrações musculares em nível celular, além de inibir as funções musculares de peixes e camundongos. Isaac Pessah, um dos pesquisadores, concedeu uma entrevista à revista Smithsonian, na qual informou:

“O triclosan é encontrado praticamente em toda casa e ambiente. Essas descobertas forneceram fortes evidências de que o químico é um sério problema, tanto para a saúde humana quanto ambiental”.

O estudo investigou, em laboratório, como o triclosan afeta as células musculares do coração e do esqueleto humano. Eles descobriram que o elemento interfere na comunicação entre as proteínas, as quais permitem que os músculos funcionem resultando assim na falha em ambos os tipos de células. Para comprovar a teoria, eles fizeram experimentos com camundongos e peixes.

Nos ratos demonstrou-se 25% de redução nas funções do coração, além de uma diminuição de 18% na força de preensão. Fora isso, após a exposição ao triclosan, os peixes se tornaram nadadores menos eficazes.

Então o que fazer?

Não há como negar que o componente químico traz malefícios às funções musculares, sendo que os cientistas estão realmente preocupados com os riscos que ele pode acarretar à saúde. Nipavan Chiamvimonvat, outro dos pesquisadores, informou:

“Os efeitos do triclosan nas funções do coração foram realmente drásticos. Embora o componente não seja regulamentado como uma droga, ele agiu como um calmante potente no coração de nossas cobaias”.

Doke

Levado aos tribunais

Pode parecer alarmante, mas os sabonetes antibacterianos podem estar com os dias contados. Recentemente, o estado do Minnesota, EUA, se tornou o primeiro lugar a banir esse tipo de produto contendo triclosan. Todavia, cerca de 75% dos sabonetes líquidos possuem esse elemento.

Mas será que isso ajuda? Desde que os produtos contendo triclosan foram disponibilizados no mercado – por volta dos anos 90 –, o componente foi incluso em diferentes setores, desde sabões líquidos e maquiagens a tábuas de cortar carne e lençóis.

Cultura Mix

Considerando o quanto o químico é prevalecente no dia a dia, é surpreendente como os órgãos responsáveis pela regulamentação do componente – FDA (Food and Drug Administration) e a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) – nunca tenham encontrado evidências de que os sabonetes “antibacterianos” contendo triclosan possuíssem benefícios maiores sobre qualquer outro tipo de componente não misturado com drogas.

Ainda que o FDA tenha publicado diretrizes para o uso de produtos químicos em sabonetes líquidos em 1978, o órgão nunca as completou – o que significa que as fabricantes de sabão nunca tiveram que seguir regras federais obrigatórias sobre aditivos químicos. Segundo o site The Huffington Post, as regras que determinam se o triclosan continua a ser usado em produtos de limpeza pode acarretar em um prejuízo de US$ 1 bilhão às indústrias.

Um componente suspeito

O mais estranho é que os órgãos licenciadores do componente triclosan nunca provaram que ele possui mais benefícios ao usuário do que o sabonete comum. Segundo uma publicação feita no próprio FDA:

“Nós não recebemos nenhuma evidência de que o triclosan fornece algum benefício extra para a saúde. Até o momento, a agência não possui nenhuma evidência que o componente aplicado em sabonetes antibacterianos e em produtos de lavagem oferece vantagem sobre os sabonetes comuns e a água”.

Mas seria o triclosan o grande vilão?

Se você acompanhou a matéria até aqui, provavelmente já deve estar jogando todos os sabonetes, pastas de dentes, lençóis e tábuas de carne no lixo, mas calma. Na verdade, o triclosan é bom para alguma coisa: ele ajuda a combater a gengivite. Mas, a não ser que você esteja lavando a boca com sabão (ou falando muitos palavrões), isso não significa que ele deva ser utilizado em todo lugar.

Na verdade, os sabonetes antibacterianos não estão lhe trazendo nenhum benefício; ao contrário, é mais provável que eles estejam lhe fazendo mal. Em diversos estudos feitos com animais, foi comprovado que o triclosan causa transtorno no sistema endócrino, ou seja, a complexa interação de hormônios que regulam a maioria dos aspectos no crescimento dos animais e na reprodução.

Quando expostos ao triclosan, os peixes machos reduziram a contagem de esperma, os camundongos fêmeas tiveram o processo de puberdade afetados e os ratos machos reduziram a presença de hormônios da tiroide.

Já existam algumas evidências sobre os efeitos colaterais do componente em humanos. Um estudo na Noruega mostrou que crianças com uma alta concentração de triclosan na urina estão mais suscetíveis a ter alergias sazonais.

Xalingo

Em dezembro do ano passado, o FDA solicitou que as empresas produtoras de sabonetes antibacterianos provassem – com dados reais – que seus produtos “são seguros, podem ser utilizados diariamente e são mais eficazes que água e sabão tradicional. Além disso, ele devem comprovar que os sabonetes previnem doenças e evitam o avanço de certas infecções”.

Embora o FDA ainda não esteja tão alarmado com o componente, é óbvio que eles acreditam que há mais coisas sobre o triclosan e agentes químicos semelhantes a ele do que nós sabemos.

Uma ameaça global

Quando você usa um sabonete antibacteriano você não está fazendo mal só para si próprio, como também para o mundo. Além de interferir no desperdício de água, o triclosan também é usado em alguns tipos de pesticidas. Logo, os componentes encontrados nele são enviados para os rios via hidrovias de tratamento de esgoto e o processo de filtragem.

Segundo o EPA (Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos), o químico pode se unir a sólidos suspensos e se sedimentar nos cursos-d’águas, o que significa que as criaturas no topo da cadeia alimentar podem carregar concentrações mais altas do componente. Algo muito perigoso quando atinge as animais que nós apanhamos e comemos.

Mas não são só os animais que são prejudicados. Alguns estudos comprovaram que as plantas que cresceram em um ambiente contaminado com triclosan já conseguiram diluir o composto e o metabolizaram, criando assim um novo componente. Os cientistas ainda estão começando a monitoração das espécies com que nos alimentamos, visando assim descobrir quais serão as ameaças proporcionadas.

Para você ter uma ideia, nosso sabão antibacteriano está desempenhando um melhor papel em destruir a vida oceânica do que ele faz com qualquer coisa que viva em nossa pele. Segundo uma pesquisa recente, o triclosan é 100 ou até mil vezes mais eficiente em “desabitar e matar algas, crustáceos e peixes” do que ele é em eliminar micróbios. O que é uma boa notícia, caso você odeie os animais do oceano.

Zoe Says

Mais ajuda quem não atrapalha

Como se isso não fosse o bastante, ainda piora. Cobrir tudo o que temos com uma leve camada de triclosan poderia ser a origem de uma nova superbactéria resistente à antibacterianos. Claro que isso é um risco inerente quando algum composto antibacteriano é utilizado sem controle algum.

As bactérias sempre encontrarão uma maneira de resistir a um medicamento, independente de como ele tenha sido produzido. A vida sempre dá um jeito. O problema é, quando um componente está em todo lugar, assim como o triclosan parece estar. Nesses casos, o desenvolvimento de resistências ocorre muito mais rápido.

M de Mulher

E não acaba por aí. Quando uma bactéria desenvolve resistência contra um elemento, essa proteção se expande a outros semelhantes. Já é possível, inclusive, encontrar algumas bactérias resistentes ao triclosan.

Portanto, os cientistas temem que as famílias de Escherichia coli e Salmonela que sejam resistentes ao triclosan também acabem sendo resistentes contra outros tipos de químicos antibacterianos mais pesados, normalmente utilizados para combater infeções bacterianas mais graves em hospitais.

Ainda não é o fim do mundo

Então o que fazer? Simples, utilize o sabonete comum. A dura verdade é que os sabonetes antibacterianos não oferecem nenhum benefício. E as empresas que os produzem sempre souberam disso. Fique atento da próxima vez que você for ao mercado comprar produtos de higiene e leia o rótulo com atenção. É bem provável que esteja escrito que ele "mata 99,9% de todos os tipos comuns de bactéria”.

Não “todas as bactérias”. Não “aquelas mais nojentas, as quais podem acabar com sua saúde”. Apenas “os tipos mais comuns de bactérias”. Ou seja, a flora normal que está sempre presente em nossa pele e que não causa problema algum. De fato, uma boa esfregada de sabão comum e um pouco d‘água são suficientes para obliterar quaisquer tipos de germes que você deseja remover.

Portanto, da próxima vez que você sujar as mãos ou seus filhos chegarem cobertos de sujeira, você ainda deve limpá-los, mas deixe o sabonete antibacteriano em seu devido lugar – em algum mercado ou farmácia, esperando para que o FDA tome alguma providência a respeito.

Flickr
Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.