Seja o primeiro a compartilhar

Conheça o Castelo de Oheka, a mansão que inspirou 'O Grande Gatsby'

Durante a década de 1920, a alta sociedade de Long Island, Estados Unidos, só conseguia falar em uma coisa: as festas do Castelo de Oheka. Conhecido como um dos locais mais luxuosos da primeira metade do século XX, a mansão centenária se destacou por entregar os eventos mais chiques da Costa Leste, atraindo celebridades de todo o planeta para conhecer um pouco mais de suas atrações.

Entre os detalhes que permeiam as histórias sobre a residência, um dos que mais se destacam coloca Oheka como a principal fonte de inspiração da obra literária O Grande Gatsby, publicada em 1925 pelo autor F. Scott Fitzgerald, que apresentou de forma crítica o estilo de vida elitista que ganhou forças após o advento do “Sonho Americano”.

(Fonte: Instagram / Reprodução)
(Fonte: Instagram – marthahunt / Reprodução)
(Fonte: Twitter / Reprodução)
(Fonte: Twitter – BucketListly / Reprodução)

O Castelo de Oheka foi construído em 1917, sendo financiado pelo imigrante judeu Otto Hermann Kahn, que investiu cerca de US$ 11 milhões (cerca de US$ 158 milhões na moeda atual, dando aproximadamente quase R$ 840 milhões) para construir uma mansão inteiramente reprojetada em aço e concreto que fosse à prova de incêndios

(Fonte: Twitter / Reprodução)
(Fonte: Twitter – gensyxv / Reprodução)
(Fonte: Wikimedia Commons / Reprodução)
(Fonte: Wikimedia Commons / Reprodução)

Durante muitos anos, o local foi conhecido como a maior residência privada dos Estados Unidos, ocupando um terreno de quase 2 km² em Cold Spring Harbor, ponto mais alto de Long Island. Com pouco mais de 10 mil m² apenas da edificação, o Castelo de Oheka foi elevado para ser a experiência definitiva de uma moradia, tendo como destaque desde sua entrada até as inúmeras atrações na periferia e interior.

(Fonte: Twitter / Reprodução)
(Fonte: Twitter – BucketListly / Reprodução)
(Fonte: The Glass Magazine / Reprodução)
(Fonte: The Glass Magazine – Brett Matthews  / Reprodução)

A mansão abrigava quadras de tênis, estábulos, pomares, uma pista de pouso e uma grande estufa particular, um campo de golfe de 18 buracos e uma longa estrada de automóveis. Já no interior, 127 quartos se espalhavam pela casa, com quase 40 lareiras funcionais e uma enorme biblioteca

A venda da propriedade

Com a morte de Otto Hermann Kahn em 1934, a casa foi vendida para o Fundo de Bem-Estar dos Trabalhadores do Saneamento, servindo posteriormente como acampamento de soldados durante a Segunda Guerra Mundial. Em seguida, passou anos abandonada, antes de ser restaurada por um novo comprador que transformou a mansão em um local histórico.

(Fonte: Instagram / Reprodução)
(Fonte: Instagram ohekacastle / Reprodução)
(Fonte: Instagram / Reprodução)
(Fonte: Instagram – ohekacastle / Reprodução)

Hoje, o Castelo de Oheka é um ponto de visitação e eventos, sendo espaço para casamentos, gravação de filmes e séries, festas e encontros particulares.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.