4 inacreditáveis fugas de prisão e a história por trás delas

Ao longo da história, relatos de fugas de presídios são apresentados como eventos comuns, especialmente em locais onde há pouca vigilância e o objetivo é conter criminosos de baixa periculosidade. Muitas pessoas condenadas a passar anos em prisões de segurança máxima foram capazes de elaborar planos e improvisar métodos absurdos de escapatória, desafiando as autoridades pelo alto teor criativo.

Conheça algumas das fugas de presídios mais inacreditáveis já registradas.

1. Fuga de Alcatraz

(Fonte: History / Reprodução)(Fonte: History/Reprodução)

Na manhã de 12 de junho de 1962, os presos Frank Morris (1926-?), John Anglin (1930-1962) e Clarence Anglin (1931-2011?) foram declarados desaparecidos da penitenciária de segurança máxima na ilha de Alcatraz, nos Estados Unidos. Em um projeto elaborado durante meses, os encarcerados roubaram colheres e lâminas de serra e passaram mais de meio ano ampliando os dutos de ventilação de suas celas enquanto Morris tocava acordeão para abafar os sons da escavação. 

Para disfarçar sua presença, o trio fabricou bonecos de papel machê e os deixava parcialmente para o lado de fora da cela, na tentativa de convencer os guardas de que nada de estranho estava ocorrendo no local. A gangue contaria com a escapatória de um quarto integrante, o ladrão de carros Allen West (1926-1978), mas ele acabou ficando preso na grade de seu duto de ventilação no último instante, quando já via a luz do Sol do outro lado.

2. Lester Eubanks

(Fonte: U.S. Marshals / Reprodução)(Fonte: U.S. Marshals/Reprodução)

Sentenciado por assassinato em primeiro grau e condenado à morte em 25 de maio de 1966 por estuprar e assassinar uma menina de 14 anos, Lester Eubanks foi um cidadão exemplar durante seus 7 anos na cadeia, o que lhe rendeu uma licença para fazer compras no Great Southern Shopping Center de Ohio (EUA) em 1973. Porém, aquele dia foi o último que as autoridades da prisão viram o criminoso.

Dado como fugitivo e procurado vorazmente desde a década de 1990, quase 20 anos depois da fuga, Eubanks, que hoje deve ter cerca de 70 anos, nunca foi capturado. Segundo pistas, ele chegou a trabalhar em Los Angeles como zelador de hospital e empregado de fábrica de colchões d'água, mas seu paradeiro é totalmente desconhecido.

3. Richard Lee McNair

(Fonte: Ladbible / Reprodução)(Fonte: Ladbible/Reprodução)

Responsável por arquitetar um dos mais estranhos planos de fuga já relatados, Richard Lee McNair (1958-), condenado a duas prisões perpétuas e 30 anos, tentou escapar da Penitenciária Estadual de Dakota do Norte pela primeira vez em 1992 pelos tubos de ventilação, mas foi recapturado em 1993. No entanto, esse feito estaria longe de se comparar com o realizado em sua fuga efetiva.

Em 5 de abril de 2006, McNair construiu um compartimento improvisado completo com um tubo de respiração e o usou para se trancar em uma mala postal que seria levada para um armazém fora da penitenciária em Pollock, na Louisiana. Quando o pessoal dos correios se afastou, o presidiário aproveitou para escapar às pressas e conseguiu ficar em liberdade até 2007, quando foi preso novamente por dirigir um veículo roubado.

4. John Dillinger

(Fonte: FBI / Reprodução)(Fonte: FBI/Reprodução)

Associado ao crime organizado e um notório assaltante de bancos, John Dillinger (1903-1934) roubou mais de US$ 30 mil antes de ser preso em janeiro de 1934. Sua impressionante fuga ocorreu poucos meses depois, visto que Dillinger entrou na cadeia de Ohio já com um plano de escapatória em mente, em que passaria todo o tempo atrás das grades talhando uma arma de madeira para render um dos carcereiros que cuidava de seu corredor. 

Com isso, o ladrão de bancos capturou duas metralhadoras, prendeu todos os guardas após fazê-los de refém e fugiu de Crown Point no carro da xerife Lillian Holley (1890-1994), que havia garantido estar com o prisioneiro sob controle. O foragido da Justiça foi encontrado meses depois por policiais que deram fim à sua vida após uma saraivada de balas.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.