Seja o primeiro a compartilhar

Dragão chinês: entenda por que essas criaturas eram reverenciadas

Tanto europeus quanto asiáticos têm lendas relacionadas a dragões. Nós, brasileiros, nos acostumamos a ver esses animais como monstros sanguinários, destruidores de vilarejos medievais. Contudo, os dragões chineses são retratados de forma totalmente diferente em suas lendas.

Ao contrário dos europeus, chineses, japoneses e coreanos cultuavam os dragões. Os dragões chineses eram vistos como criaturas sagradas, pois protegeriam o imperador, traziam chuva e eram associados à sorte. Não por acaso, as crianças que nascem no ano do dragão, no horóscopo chinês, são consideradas sortudas.

Dragão europeu (Fonte: Shutterstock)Dragão europeu (Fonte: Shutterstock)

Elo entre o céu e a terra

Um denominador comum na cultura antiga de muitos países asiáticos é a natureza. Fenômenos naturais, como chuvas, eram retratados como demonstrações de força de espíritos ou divindades. Não por acaso, a morada dos dragões chineses está, justamente, ligada ao ciclo da água.

De acordo com as lendas antigas, os dragões chineses viviam nas nuvens ou nos rios e lagos. Em algumas regiões, eles eram considerados diretamente responsáveis pela chuva que cairia em toda China antiga.

Além do mais, eles seriam responsáveis pela segurança do imperador. Na verdade, houve um tempo em que os chineses acreditavam que o líder descendia diretamente dos dragões. Na realidade, uma lenda que tenta contar a origem da China, relata que o líder tribal Yandi nasceu quando sua mãe teve uma relação telepática com um dragão. Os chineses se consideravam descendentes de Yandi.

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

Fisicamente diferente do dragão europeu

Os dragões da mitologia europeia se parecem com grandes dinossauros que soltam fogo. Por isso, há quem acredite que a lenda do dragão surgiu como forma de explicar fósseis de dinossauros encontrados antigamente. Essa hipótese faz sentido, uma vez que os ossos achados não poderiam ser associados a nenhum animal que os europeus conheciam.

Contudo, os dragões chineses não lembram dinossauros, pelo menos não imediatamente. Seus corpos são retratados como os de serpentes. Eles têm garras como as de aves. Alguns até têm bigodes que lembram os de um bagre. Pela anatomia, fica evidente que são seres ligados à água, ao contrário dos vizinhos europeus, associados unicamente ao fogo.

Mitos antigos afirmam que cada parte do corpo de um dragão chinês estava ligada a uma tribo distinta. Logo, o dragão simbolizava a união de diferentes povos que deram origem a uma China unificada, liderada por imperadores que descendiam de dragões. Isso mostra a importância desses seres para a cultura popular chinesa.

Outros dragões asiáticos

Os dragões também são comuns em lendas de outros países asiáticos, como Japão e  Coreia do Sul. Fisicamente, eles são parecidos com os dragões chineses. Os dragões japoneses também estão ligados à água. Em algumas lendas, são retratados como feras que exigiam sacrifício humano. Em outras, como criaturas espertas que roubavam joias de príncipes.

Na Coreia, os dragões eram considerados símbolos de poder e riqueza. Por isso, durante muitos anos, apenas os reis podiam usá-los em seus adornos. Os dragões coreanos se dividem em dois grupos. Os imugis são parecidos com serpentes do mar e seriam o estágio inicial de todo dragão. Há também os gye-lyong, os “frango-dragões”. Fisicamente, eles são a soma dos dois animais e serviriam para puxar a carruagem de pessoas importantes.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.