Seja o primeiro a compartilhar

O que os faraós do Egito Antigo guardavam nas pirâmides?

No Egito Antigo, os faraós eram conhecidos por viver no luxo, mas também por partirem para o outro mundo em grande estilo. Você duvida? Então você provavelmente nunca ouviu falar das pirâmides.

Os egípcios são parte de uma das civilizações mais importantes da História e, como tal, sempre atraíram a atenção tanto do mundo acadêmico como de leigos interessados em conhecer um pouco mais sobre o mundo antigo.

Um dos aspectos que se destaca é a relação estabelecida entre a vida e a morte. Essa é uma crença que fez parte do cotidiano de cidadãos comuns e de faraós de forma semelhante.

Itens do cotidiano

Sim, existem tesouros nas pirâmides. Isso não é novidade considerando o estilo de vida luxuoso do que essas figuras lendárias viviam. Além dos sarcófagos, muitas tumbas escondiam artigos de cerâmica, móveis e adornos usados por faraós ou sacerdotes.

(Fonte: Shutterstock/Reprodução)(Fonte: Shutterstock/Reprodução)

Além disso, há tesouros esculpidos e pintados nas paredes. Os hieróglifos encontrados nos corredores e nas próprias tumbas são um registro histórico com escritos que relembram momentos importantes da vida do faraó e, em alguns casos, feitiços usados em rituais religiosos.

Tesouros inestimáveis

Você já deve ter visto algum filme do Indiana Jones, onde um arqueólogo supera armadilhas em busca de tesouros dos povos antigos. Se você tem interesse apenas no aspecto histórico, vai dizer que o verdadeiro tesouro é a descoberta de sítios arqueológicos ainda intactos.

(Fonte: Shutterstock/Reprodução)(Fonte: Shutterstock/Reprodução)

A tumba de Tutankamon, por exemplo, continha um trono, máscara mortuária e, até mesmo, sandálias feitas de ouro. Os exploradores que desbravaram o Egito nos últimos 300 anos tiveram a sorte de encontrar inúmeras relíquias. Esses tesouros nos ajudam a entender um pouco sobre essa cultura e ajudam a conservar a memória de uma das civilizações mais importantes da história.

Memórias do passado

Não só de esconder relíquias viviam os antigos egípcios. As crianças dos tempos antigos tinham uma coisa em comum com as crianças modernas: elas se divertiam com diversos tipos de brinquedos, inclusive alguns semelhantes aos que temos hoje.

Esses são achados valiosos que revelam que haviam pessoas engenhosas que esculpiam madeira ou moldavam em cerâmica em formas como animais e bonecas. Vale lembrar que essa não é uma exclusividade do povo egípcio. Desde os nórdicos até as civilizações indo-americanas brinquedos são encontrados em excelentes condições de conservação.

Morte na cultura egípcia tem um significado muito específico. Segunda essa crença, a morte era processo que resultava na separação entre a alma e o corpo. Portanto, havia uma grande preocupação em conservar o corpo até que a alma fizesse a transição para a próxima vida.

Com isso, a técnica de mumificação foi desenvolvida para essa finalidade. Essa tradição também explica porque as pirâmides eram preenchidas com tesouros, lembranças e itens pessoais. Como resultado, o faraó teria acesso a todas as regalias com as quais estava acostumado na sua próxima encarnação.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.