Seja o primeiro a compartilhar

Ciclone de Bhola: o desastre natural que fez um novo país nascer

Os desastres naturais podem ser agravados por e utilizados com objetivos políticos. O terrível Ciclone de Bhola de 1970, a tempestade tropical mais mortal de que se tem notícia, é um dos maiores exemplos disso. Seus desdobramentos levaram ao nascimento de uma nova nação com a independência de Bangladesh.

Mas essa história começa muito antes disso: o Raj Britânico era o domínio do Reino Unido no sudeste asiático — compreendendo os territórios dos atuais Paquistão, Índia e Bangladesh. A partir dos movimentos de independência dos anos 1940, os britânicos organizaram a transição de poder em suas ex-colônias com base na religião.

Na chamada "Partição da Índia", de 1947, foram criados dois estados nacionais: um de maioria hindu, a Índia, e outro da maioria islâmica, o Paquistão. O problema é que o país islâmico tinha seu território totalmente dividido pelo vizinho hindu. Ficava metade para cada lado.

O Raj Britânico foi dividido em países pela religião, criando o Paquistão Ocidental e Oriental (Fonte: Wikimedia Commons)O Raj Britânico foi dividido em países pela religião, criando o Paquistão Ocidental e Oriental (Fonte: Wikimedia Commons)

Um país dividido — e destruído pelo ciclone

Embora tivesse praticamente metade da população, o Paquistão Oriental (atual Bangladesh) tinha muito menos representação política, já que o centro das decisões ficava no lado Ocidental, em Islamabad. Os investimentos governamentais também ficavam no Ocidente.

Entre os anos 1950 e 1960, a tensão política entre os dois lados do país crescia continuamente. O Paquistão Ocidental tentava, inclusive, reprimir os movimentos políticos, a cultura e o idioma bengalês — elegendo o urdu como sua língua oficial. 

Alheios a essas discussões, milhares de cidadãos comuns viviam da pesca e da agricultura nas inúmeras ilhas da Baía de Bengala, no Paquistão Oriental. Quando muito, alguma notícia vinha da capital da província, Dhaka, ou pela rádio. Até que o desastre bateu à porta. 

Mapa de Bangladesh, com suas inúmeras ilhas na Baía de Bengala (Fonte: Wikimedia Commons)Mapa de Bangladesh, com suas inúmeras ilhas na Baía de Bengala (Fonte: Wikimedia Commons)

Foto de satélite mostra o ciclone se aproximando da Baía (Fonte: Britannica/Reprodução)Foto de satélite mostra o ciclone se aproximando da Baía (Fonte: Britannica/Reprodução)

Na noite de 12 de novembro de 1970, uma tempestade tropical — depois batizada de Bhola, uma ilha da região — atingiu a Baía de Bengala. Ciclones eram comuns nessa região, mas nenhum com tal intensidade. 

Ventos de mais de 220 km/h e ondas de mais de 10 m de altura invadiram as ilhas. O ciclone chegou em época de maré alta e lua cheia, o que contribuiu para aumentar o nível da água. Há relatos de pessoas que não conseguiram se proteger nem no segundo andar das casas, tendo que se agarrar no topo de palmeiras para não serem levadas pelas águas. 

Um desastre natural, mas também político

Estima-se que algo entre 300 mil e 500 mil bengaleses tenham morrido durante a passagem do Ciclone de Bhola pelo Paquistão Oriental. Em ilhas como Manpura, mais de 80% das pessoas pereceram — além das colheitas e animais, fazendo os sobreviventes lutarem contra a fome.

O ciclone atingiu o país quando faltavam apenas duas semanas para as eleições presidenciais do Paquistão — as primeiras democráticas, com participação dos dois lados do país. O general Yahya Khan esperava que seu colega ocidental ganhasse "de lavada", já que os bengaleses só iriam participar por formalidade, para dar um verniz democrático à eleição. 

O que Yahya Khan não contava era com a indignação dos bengaleses com desastre político que foi sua atuação no desastre natural. 

Ciclone de Bhola de 1970 vitimou entre 300 e 500 mil pessoas em Bangladesh (Fonte: Banco Mundial)Ciclone de Bhola de 1970 vitimou entre 300 e 500 mil pessoas em Bangladesh (Fonte: Banco Mundial)

Algumas ilhas perderam 80% de sua população (Fonte: Get Bengal/Reprodução)Algumas ilhas perderam 80% de sua população (Fonte: Get Bengal/Reprodução)

A princípio, o mandatário culpou oficiais do Paquistão Oriental e estrangeiros por não avisarem sobre a chegada do ciclone. Mas investigações mostraram existirem sistemas de detecção de desastres, que poderiam ter sido utilizados para fazer a população procurar um abrigo adequado. Sistemas que foram ignorados. 

Os oficiais do Paquistão Oriental afirmaram ter avisado o Ocidente — mas eles precisavam de autorização de Islamabad para emitir avisos. Quando os avisos chegaram, mandaram o recado errado, sem dar a dimensão real da gravidade do ciclone. Por isso, ainda que 90% das pessoas soubessem que uma tempestade estava chegando, só 1% procurou abrigo adequado.

Enquanto isso, em Islamabad, alguns militares até respiraram aliviados: o desastre tirou 500 mil votos do partido Liga Awami, que lutava pela independência de Bangladesh.

Do desastre à Guerra de Libertação

O Paquistão Ocidental esqueceu dos bengaleses e se preocupou com sua eleição. Eles até recusaram ajuda dos vizinhos indianos, com quem viviam em tensão. Assim, os próprios civis tiveram que organizar os esforços de resgate e reconstrução, após o ciclone.

Contudo, partidos como a Liga Awami foram às ilhas para prestar algum auxílio. Isso fez com que milhares de pessoas que estavam alheias à política se interessassem em votar. Isso levou à inesperada vitória do líder bengalês Sheikh Mujibur Rahman nas eleições de 1970. 

Yahya Khan e o Paquistão Ocidental não aceitaram esse resultado. Ele arquitetou uma invasão ao Paquistão Oriental, dando início a uma guerra civil. Bangladesh declarou sua independência em março de 1971. 

Yahya Khan com o presidente estadunidense Richard Nixon (Fonte: Wikimedia Commons)Yahya Khan com o presidente estadunidense Richard Nixon (Fonte: Wikimedia Commons)

A rendição das tropas paquistanesas, em dezembro de 1971 (Fonte: Wikimedia Commons)A rendição das tropas paquistanesas, em dezembro de 1971 (Fonte: Wikimedia Commons)

O novo país recebeu apoio da Índia — que, por sua vez, era próxima da União Soviética. No contexto da Guerra Fria, a separação do Paquistão e um eventual domínio indiano na região preocupavam os Estados Unidos. Então, o governo Nixon apoiou Islamabad — mas de forma discreta, já que grande parte da opinião pública estimulava o apoio a Bangladesh.

Nixon tentou negociar um cessar-fogo com a primeira-ministra indiana Indira Gandhi, sem sucesso. Com o envolvimento do vizinho na guerra, o Paquistão Ocidental perdeu força e ofereceu sua rendição em 16 de dezembro de 1971. E assim nasceu Bangladesh.  


Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.