Seja o primeiro a compartilhar

Novas inscrições são descobertas nos Manuscritos do Mar Morto

A DQCAAS, sigla em inglês para Rede para o Estudo de Artefatos e Fontes de Arquivo de Cavernas Dispersas de Qumran, organização que estuda os Manuscritos do Mar Morto, divulgou na semana passada um artigo revelando a descoberta de pedaços ocultos de texto em fragmentos que se pensava estarem em branco.

Financiada pela fundação britânica Leverhulme Trust, uma pesquisa recente analisou os 51 manuscritos que o governo da Jordânia presenteou à Universidade de Leeds, no Reino Unido, para análise química, pois se supunha até então que não tinham nenhum tipo de conteúdo. No entanto, a nova investigação revelou a existência de novos trechos escritos.

Alguns dos textos recém-descobertos encontram-se muito esmaecidos e estiveram "apagados" através dos séculos. A professora Joan Taylor explicou sua surpresa quando, olhando para um dos fragmentos com uma lupa, pensou ter visto uma letra pequena e desbotada — um lamed, a letra hebraica 'L'.

O curioso é que a pesquisa inicialmente visava pesquisar o couro e, por esse motivo, os fragmentos foram cortados em pequenos pedaços. Ao verificar o vestígios de letras, a professora Taylor pensou que estivesse alucinando, mas logo se recuperou ao descobrir em outros pedaços de couro vestígios de outras letras.

Montando o quebra-cabeças

Fonte: DQCAAS/ReproduçãoFonte: DQCAAS/Reprodução

O fragmento mais consistente apresenta restos de quatro linhas de texto com 15 a 16 letras precariamente preservadas. No entanto, a palavra "shabat" (sábado) pode ser lida claramente. De acordo com a pesquisa, essa passagem pode estar relacionada ao livro bíblico de Ezequiel.

Os 51 fragmentos foram, então, digitalizados com técnicas de imagem multiespectral, o que revelou a existência de textos em hebraico-aramaico em pelo menos quatro deles, escritos com uma tinta à base de carbono.

A historiadora bíblica alerta, no entanto, que ela e seus colegas estão apenas no início dos trabalhos de interpretação dos fragmentos e entende ser ainda muito cedo para se especular sobre seu completo significado.

Segundo a professora Taylor, as novas técnicas atualmente disponíveis tornaram possível a revelação de textos antigos. Ela confessa: "Senti que precisávamos saber se essas letras poderiam ser expostas". E, embora a recuperação do conteúdo seja apenas parcial, ela diz que são como peças faltantes de um quebra-cabeça há muito perdidas.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.

Comentários

Você já percebeu que passamos por algumas mudanças por aqui, né? Uma delas é melhorar também o nosso campo de comentários - e nada melhor do que você, nosso leitor, para nos ajudar e garantir que a gente esteja no caminho certo. Substituímos temporariamente nossos comentários por uma pesquisa rápida para implementarmos mais uma melhoria. Como você acredita que nossa interação pode ser mais próxima aqui?

CLIQUE AQUI PARA RESPONDER