Meteoro que atingiu a Sibéria pode ter apenas 'ralado' na Terra

Meteoro que atingiu a Sibéria pode ter apenas 'ralado' na Terra

Último Vídeo

Um dos eventos mais curiosos envolvendo o encontro entre a Terra e um meteoro aconteceu em 1908, na Sibéria, quando um meteoro derrubou milhões de árvores e nunca deixou um vestígio do objeto espacial. O quebra-cabeça, que deixa cientista curiosos desde que aconteceu, pode ter uma solução em uma teoria lançada por Academia de Ciências Russa, em Moscou. 

Árvores da região de Tunguska derrubadas pelo meteoro. (Fonte: Sovfoto/Universal Images Group/Reprodução)Árvores da região de Tunguska derrubadas pelo meteoro. (Fonte: Sovfoto/Universal Images Group/Reprodução)

O evento de Tunguska

Em 30 de junho de 1908, a população de Tunguska viveu uma manhã extremamente fora do normal. Um forte clarão nos céus e uma forte sensação de calor assustou os moradores da região, que estavam sendo "vítimas" de um quase colisão com um meteoro. O acontecido deixou 80 milhões de árvores derrubadas e uma região de 2 mil km² devastada, tudo isso em uma questão de segundos. 

Após isso, foi informado que o ocorrido era consequência da queda de um meteoro, entretanto nunca foram encontrados a cratera ou resquícios do dito objeto que caiu do espaço. Anos e anos de mistério causaram uma comoção na comunidade científica para entender o que aconteceu naquele lugar. Hoje, mais de 100 anos após, cientistas de Tunguska têm uma nova teoria: o meteoro apenas raspou na superfície terrestre. 

A teoria da Academia de Ciências Russa

Acreditou-se, durante muito tempo, que o meteoro havia explodido e, por conta disso, não existia uma cratera. Porém, essa ideia também não explicava o fato de não ter sido encontrado nenhum tipo de resquícios do cometa. Teorias sobre um vulcão e outras ideias também foram testadas, mas nenhuma comprovada.

Dessa forma, cientistas da Academia de Ciências Russa parecem ter finalmente achado uma teoria mais plausível para desvendar este quebra-cabeça: e se o meteoro nunca atingiu, mas, sim, apenas passou de raspão na Terra?

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

A ideia, apesar de parecer maluca, faz sentido caso o meteoro fosse um objeto de ferro, que poderia causar o estrago. Segundo os cientistas, um meteoro de ferro poderia se aproximar da superfície o suficiente para causar uma onda de choque, que geraria o clarão, o calor e derrubaria as milhões de árvores. Ainda que próximo o suficiente, o objeto espacial, caso fosse de ferro, conseguiria "escapar" do campo gravitacional da Terra e voltar ao espaço!

A teoria foi testada em computadores pelos estudiosos e, pasmem, a teoria é extremamente possível. Segundo a ideia deles, o meteoro de ferro teria entre 100 e 200 metros de diâmetro e teria passado pela atmosfera terrestre a uma velocidade de 72 mil km/h. E, mesmo que perdesse um pouco de massa durante o trajeto, o resíduo facilmente seria confundido com uma oxidação terrestre natural. 

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.