Astronauta é a primeira mulher a ir até ponto mais fundo da Terra

Astronauta é a primeira mulher a ir até ponto mais fundo da Terra

Último Vídeo

Uma antiga astronauta da NASA entrou para a história ao mergulhar 11 quilômetros para se tornar a primeira mulher na história a chegar no ponto mais profundo conhecido no planeta. Durante o sábado (6), Kathy Sullivan foi até a região de Guam — ilha dos EUA localizada na Oceania —, onde encarou a chamada Depressão Challenger.

O desafio faz parte de uma série de missões denominada de "Anel de Fogo" (Ring of Fire em inglêscomandadas pela empresa Caladan Oceanic. Além de ser a primeira mulher e oitava pessoa a encarar as profundezas do oceano Pacífico, aos 68 anos de idade, Sullivan também foi a primeira mulher a caminhar no espaço em uma viagem da NASA no ano de 1984.

Kathy Sullivan entra para história

(Fonte: Kathy Sullivan/Reprodução)(Fonte: Kathy Sullivan/Reprodução)

Em 1978, Sullivan fez parte de uma das primeiras equipes de astronautas da NASA a incluir mulheres. E antes disso ela já havia participado de uma das primeiras missões submarinas utilizadas para estudar o processo vulcânico responsável pela formação da crosta oceânica.

Além de astronauta, Sullivan também é uma oceanógrafa naval e geóloga aposentada. Durante o treinamento para a viagem à Depressão Challenger, a recordista recebeu um treinamento em robótica para conseguir operar uma garra mecânica capaz de recolher amostras do solo do oceano.

Em seu tempo na NASA, Sullivan orbitou a 615 quilômetros da Terra, ajudou na implantação do telescópio espacial Hubble e durante 3 horas e 29 minutos realizou uma demonstração de como funciona o reabastecimento de um satélite - o que lhe deu o recorde de primeira mulher a caminhar no espaço.

Expedição "Ring of Fire"

(Fonte: Caladan Oceanic/Divulgação)(Fonte: Caladan Oceanic/Divulgação)

A série de expedições programadas pela Caladan Oceanic em 2020 tem como objetivo desbravar as regiões mais profundas do planeta e realizar pesquisas topológicas e ambientais no local. 

Ao longo de oito viagens — todas comandadas pelo piloto Victor Vescovo —, a equipe da Caladan pretende observar as fendas vulcânicas na região e identificar novas espécies de vida marinha.

Essa foi a terceira vez que Vescovo percorreu os 11 quilômetros da Depressão Challenger. O explorador norte-americano foi responsável por projetar e criar o design do submarino multimilionário "DSSV Pressure Drop", feito especialmente para suportar a pressão atmosférica mil vezes maior que no nível do mar.

Ainda em Junho, a expedição "Ring of Fire" deve transportar Kelly Walsh, filha do primeiro homem a alcançar o fundo da Depressão Challenger 60 anos atrás, Dan Walsh. 

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.