Seja o primeiro a compartilhar

Coleções de vidro de urânio: belas e radioativas

Em uma demonstração de que muitas vezes o luxo pode se sobrepor à própria sobrevivência, houve um tempo em que pessoas se expunham a perigosos níveis de radiação para produzir deslumbrantes peças de vidro de urânio, fluorescentes e brilhantes sob luz negra.

Fonte: Radioactive Antiques/Instagram/Reprodução
(Fonte: Benjamin/Instagram/Reprodução)

Ainda presentes em muitas lojas de antiguidades e coleções, o vidro de urânio é feito mesmo com óxido de urânio, o que confere aquela coloração esverdeada, mas também uma perigosa letalidade devido a diferentes graus de radiação. Na maioria das vezes, no entanto, o vidro de urânio é seguro de usar, desde que não seja frequentemente.

Fonte: Dr. David Powers/Instagram/Reprodução
(Fonte: David Powers/Instagram/Reprodução)

A concentração do metal no vidro, que já chegou a atingir impressionantes 25% no início do século XX, foi reduzido posteriormente a níveis residuais com no máximo 2%. A quantidade de urânio não influencia em nada a fluorescência do vidro. Pelo contrário, quanto mais urânio no vidro, menos este se torna fluorescente sob luz negra.  

Precauções com o vidro de urânio

Fonte: Harley Ryan 69/Instagram/Reprodução
(Fonte: Harley Ryan/Instagram/Reprodução)

Os cuidados a serem adotados pelas pessoas que possuem conjuntos de vidro de urânio são os mesmos daqueles dispensados ao vidro com chumbo. Ambos são seguros para uso ocasional, mas não se deve armazenar qualquer tipo de alimentos ou bebidas neles. Ou ficar polindo a coleção de vidros.

Fonte: Megan Normansell/Instagram/Reprodução
(Fonte: Megan Normansell/Instagram/Reprodução)

Além disso, as substâncias radioativas em vidrarias de urânio fixam-se no vidro, reduzindo bastante o risco de sua propagação no meio ambiente. A amplitude da radiação emitida varia entre 10 a 15 cm, o que significa que guardar as peças dentro de uma caixa protetora de vidro praticamente elimina os riscos.

Fonte: Benjaaa Meeeen/Instagram/Reprodução
(Fonte: Benjaaa Meeeen/Instagram/Reprodução)

História dos vidros de urânio

Embora existam evidências de que esse tipo de vidro tenha sido usado desde a Antiguidade, foi somente na Idade Média, após a descoberta de compostos de urânio nas minas de prata dos Habsburgos, na Bohemia, que a produção em massa de produtos de vidro de urânio teve início.

A indústria de peças em vidro de urânio floresceu entre as décadas de 1880 e 1930. Porém, após os enormes danos causados à saúde dos sopradores de vidro e posteriormente aos operários das grandes fábricas de vidro, a produção de urânio foi interrompida, depois do final da Segunda Guerra Mundial.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.