Qual o impacto das mudanças climáticas no nível do mar?

Último Vídeo

A subida no nível do mar é um fenômeno que vem preocupando a comunidade científica há décadas. Desde o século XX, estudos feitos pelo Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), das Nações Unidas, apontam que a altura dos oceanos aumentou cerca de 1,4 milímetro por ano. 

Isso significa que, na média geral entre todos os mares do planeta, a terra tem sido engolida gradualmente pela água e a tendência é que a situação se agrave. Somente entre os anos de 2005 e 2015, o nível do mar passou a subir 3,6 milímetros por ano. O maior culpado para esses acontecimentos? O aquecimento global.

Padrões pelo mundo

(Fonte: Pixabay)
(Fonte: Pixabay)

Então, se a altura dos oceanos tem crescido todos os anos, é correto afirmar que esse fenômeno atinge absolutamente todas as partes do mundo? Negativo. Segundo os dados apresentados pelo Conselho Consultivo da Ciência e da Indústria (CSIRO) da Austrália, essa movimentação dos mares não é exatamente uniforme. 

Enquanto a maioria dos lugares no mundo de fato tem presenciado um aumento no nível do mar, existem outras regiões específicas que observaram justamente o contrário. Em entrevista para o portal Live Science, a professora-assistente de Ciências Ambientais na Universidade de Columbia, Jacky Austermann, garantiu que “não há lugar no mundo imune às transformações”.

Isso porque, conforme o planeta vai ficando mais quente, as altas temperaturas passam a aquecer mais o ar e a água. Por consequência, a água quente se expande e junto ao ar aquecido adquire o potencial de derreter as calotas polares, causando grande destruição na Antártida.

Aonde vai a água extra?

(Fonte: Pixabay)
(Fonte: Pixabay)

Ao contrário do que é de se imaginar, o derretimento das geleiras não adiciona simplesmente água aos oceanos e faz com que eles subam. Em regiões como a Antártida e a Groenlândia, as camadas de gelo são tão grandes que suas massas possuem uma força gravitacional capaz de atrair a água do oceano para perto.

Entretanto, ao passo em que essas regiões derretem, as geleiras perdem boa quantidade de massa e também de força gravitacional. Por isso, o nível do mar tem diminuído nas regiões próximas ao topo do hemisfério norte e água “extra” sendo empurrada até o hemisfério sul.

Por fim, esse fenômeno deve ser responsável pelo aumento de tempestades destrutivas e inundações nas regiões onde o crescimento dos oceanos é mais crítico.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.