54
Compartilhamentos

Rinoceronte-lanudo de 20 mil anos é encontrado na Sibéria

Preservado em camadas de gelo por cerca de 20 mil anos, restos de um rinoceronte-lanudo foram encontrados em camadas derretidas localizadas na região de Iacútia, Rússia. Com cerca de 80% da pele intacta, a carcaça é o registro mais bem preservado no território da Sibéria e indica o segundo espécime do animal já descoberto no mundo.

Segundo entrevista publicada no The Siberian Times, o rinoceronte-lanudo foi encontrado em agosto de 2020 por Alexei Savvin, nas proximidades do rio Tirekhtyakh. Além da carcaça quase que completamente intacta, também foi possível identificar o pelo castanho-avermelhado espesso, todos os seus membros, partes do intestino, pedaços de corpo e de tecidos, e dentes, resultando em um dos achados mais significativos já documentados na região. Os resultados do estudo foram divulgados apenas na última terça-feira (29).

(Fonte: Valery Plotnikov / Reprodução)
(Fonte: Valery Plotnikov / Reprodução)

“O jovem rinoceronte tinha entre três e quatro anos e vivia separado de sua mãe quando morreu, provavelmente por afogamento. O rinoceronte tem um subpelo muito curto e grosso; provavelmente ele morreu no verão”, disse o paleontólogo Valery Plotnikov, da Academia Russa de Ciências. “O sexo do animal ainda é desconhecido. Estamos aguardando as análises de radiocarbono para definir quando ele viveu. O intervalo de datas mais provável é entre 20.000 e 50.000 anos atrás.”

(Fonte: Valery Plotnikov / Reprodução)
(Fonte: Valery Plotnikov / Reprodução)

O derretimento do permafrost siberiano vem transformando o território local em um verdadeiro palco para o reaparecimento de espécies de animais pré-históricos congelados. Nas últimas décadas, moradores e historiadores chegaram a descobrir filhotes de leão-das-cavernas, um bisão, um cavalo, um rinoceronte-lanudo bebê e o mamute-lanudo, mas nada chegou a se comparar ao estado de preservação do último achado.

Um local de difícil acesso

No momento, os pesquisadores estão aguardando o crescimento de novas camadas de gelo para ter acesso à periferia do rio Tirekhtyakh — considerada um local de difícil acesso mesmo com a utilização de veículos aéreos e equipamentos de movimentação — para remover cuidadosamente a carcaça do rinoceronte e ser levado ao laboratório, a fim de sofrer análises minuciosas.

Dessa forma, espera-se que o rinoceronte-lanudo seja transportado para bases genéticas na Suécia, onde será estudado e mais conclusões sobre sua história e extinção serão detalhadas.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.