Seja o primeiro a compartilhar

Foie gras: 5 fatos sobre esse curioso prato culinário

Para quem gosta de culinária francesa, a palavra "foie gras" já deixou de causar espanto há muito tempo. Em uma tradução literal para o português, aprendemos que esse prato significa "fígado gordo" e pode ser feito com o órgão de patos ou gansos. Com esse histórico, não é à toa que a França hoje é a maior produtora e consumidora de foie gras no mundo.

Porém, não bastasse ser uma receita difícil de agradar a todos os paladares, o foie gras é um prato que carrega uma história bastante única e especial até se tornar o que é hoje. Quer saber mais sobre esse ícone da culinária internacional? Veja só cinco fatos que separamos sobre o tema!

1. A origem do foie gras

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Embora seja taxado como um prato tipicamente francês, a história do foie gras vem antes de sua conexão com a França. O motivo? Para que o fígado de um pato engorde consideravelmente, muitos criadores utilizam a técnica de gavagem (alimentação forçada), que surgiu em 2500 a.C.

Naquela época, os antigos egípcios começaram a criar pássaros para alimentação e deliberadamente os engordavam através da alimentação forçada. Essa prática se espalhou pelo Mediterrâneo através de gregos e romanos, chegando na França durante o Renascentismo.

2. Alimentação forçada

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Entrando no mérito da criação das aves para a produção do foie gras, é preciso ter em mente que os patos são alimentados à força duas vezes por dia durante 12,5 dias, enquanto que os gansos precisam comer três vezes por dia durante 17 dias. Normalmente, um pato é abatido com 100 dias de vida e os gansos com 112 dias, momento em que seus fígados estão em "tamanho ideal".

Para um foie gras perfeito, o fígado de uma dessas aves precisa ter aumentado quase 10 vezes do seu tamanho original.

3. Diferenças de patos e gansos

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Para saber se o foie gras que você está comendo é de pato ou ganso, não há muito o que um consumidor pode fazer e existem bons motivos para isso. Por exemplo, o fígado de ganso é maior que o fígado de pato, mas depois de cortado e cozido, fica visivelmente impossível encontrar essa diferença.

Porém, o fígado de pato é mais escuro do que o de ganso e possui uma consistência menos firme do que o fígado de ganso depois de frito, possuindo um sabor mais suave e um pouco mais doce e cremoso.

4. Cozinhando o fígado

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

Idealmente, uma receita de foie gras precisa ser bastante firme e de textura suave, juntando uma coloração que se aproxima de um branco cremoso tingido de rosa. Um bom cozinheiro costuma se basear em alguns métodos tradicionais para completar esse prato.

O mais comum é selar o fígado inteiro em uma panela quente até ele se desmanchar em um purê, o qual será transformado em uma mousse. Como essa carne "derrete" rapidamente, o fato dela ser feita em fogo altíssimo faz com que essa receita não seja tão simples assim de ser concluída.

5. Prato polêmico

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

Visto que a gavagem — o ato da alimentação forçada de animais — é uma medida bastante controversa e vista como uma forma de crueldade animal que vai além de apenas criar criaturas para serem abatidas para alimentação, o foie gras costuma ser um prato bastante controverso entre cozinheiros e consumidores.

A comunidade culinária fica bastante dividida em relação ao assunto, tendo até mesmo restaurantes na França que se recusam a servir essa receita. No entanto, países na Europa como a Espanha já passaram a realizar o foie gras com fígados de pato e ganso sem passar pela gavagem.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.