A ciência por trás do ‘tabuleiro Ouija’ (Brincadeira do Copo)
32
Compartilhamentos

A ciência por trás do ‘tabuleiro Ouija’ (Brincadeira do Copo)

Último Vídeo

Você conhece o tabuleiro Ouija? Certamente você já ouviu histórias sobre ele ou, se não, já viu algum filme americano em que ele aparece. O tabuleiro Ouija é aquele que possui letras impressas e vem com um ponteiro de madeira. Seu propósito, segundo conta a lenda, é contatar os prováveis espíritos presentes no local. Para tanto, as pessoas se reúnem à sua volta e posicionam os dedos em cima da peça para que ela se mova pela superfície do mostrador, soletrando a resposta de uma pergunta feita anteriormente. Você pode saber mais sobre a tábua Ouija, clicando aqui.

No Brasil há uma variante dessa brincadeira realizada com um copo de vidro, mas que acontece da mesma maneira. E muitos acreditam que realmente se trata de um fenômeno paranormal, tendo em vista que, aparentemente, o objeto se move de forma involuntária. Assim sendo, desde o século 19, o tabuleiro Ouija é considerado, por diversos grupos religiosos, um perigoso instrumento de tentativa de comunicação com os mortos.

No Brasil, a popular "Brincadeira do Copo" é equivalente ao tebuleiro Ouija

O fato é que essas brincadeiras despertam a curiosidade de muitos jovens e são praticadas em festas ou por vários grupos de amigos. Mas será que a manifestação dos espíritos é verdadeira? Será que o copo de fato se move involuntariamente? A ciência possui uma explicação para a possível movimentação dos objetos sobre o tabuleiro.

O que diz a Ciência

Segundo os cientistas, as pessoas possuem uma espécie de segunda inteligência que fica em seus subconscientes. É aqui que elas mantêm gravadas diversas respostas que muitas vezes não fazem ideia de que sabem. E essas informações se manifestam de forma involuntária em momentos que os indivíduos precisam fortemente de uma resposta, fazendo com que elas se movimentem inconscientemente, em uma ação chamada “efeito ideomotor”.

O Dr. Docky Duncan, um dos pesquisadores responsáveis por um estudo realizado na Universidade da Columbia Britânica (UBC), explica que, se você perguntar a alguém qual é a capital do Camboja, essa pessoa provavelmente vai dizer que não sabe. “No entanto, ela pode já ter ouvido isso em algum lugar, e a informação fica armazenada no cérebro”, completa. É essa informação no subconsciente que em determinado momento acaba se manifestando, como se pode ver a seguir.

A constatação do estudo

O estudo do Dr. Duncan e de outros colegas foi realizado em 2012, no Laboratório de Cognição Visual da UBC e organizou testes com algumas pessoas para investigar o efeito ideomotor. As questões eram factuais, de sim ou não, e foram apresentadas de forma verbal e por meio de um tabuleiro Ouija. Nessa parte com o tabuleiro, os participantes eram vendados e precisavam responder junto com um parceiro, mas, assim que a pergunta era feita, as outras pessoas rapidamente retiravam as suas mãos do ponteiro.

O tabuleiro Ouija

O resultado foi muito interessante: respondendo verbalmente, os entrevistados acertaram cerca de 50% das respostas para as perguntas que os deixavam em dúvida. Já com o tabuleiro, nas mesmas questões duvidosas, o percentual de acerto foi de 65%, explicando a conclusão apresentada pelo Dr. Duncan.

............

Bem, a visão científica mostra que a brincadeira em torno do tabuleiro de Ouija, ou com o copo, não passa de um experimento psicológico. Mas você concorda com a ciência ou acredita que é possível realmente falar com os mortos por meio do jogo? Deixe o seu comentário a respeito e aproveite para contar a sua experiência, caso já tenha participado de uma brincadeira desse tipo.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.