(Fonte da imagem: Reprodução/Wikipedia)

Imagine que, por alguma razão, um supervilão decide destruir o planeta lançando várias ogivas nucleares pelo mundo. Caso você sobrevivesse a esse cataclismo, o que aconteceria com o seu corpo devido à exposição a tanta radiação? O pessoal do site Gizmodo decidiu descobrir, contando para a gente os detalhes.

Depende da dosagem

Na verdade, tudo depende da radiação ionizante. Ela é liberada por reações nucleares, sendo capaz de “arrancar” elétrons de átomos e moléculas, fazendo com que os íons resultantes formem pares extremamente reativos, capazes de danificar as nossas células. Assim, é necessário medir a quantidade de radiação que um organismo vivo pode absorver, o que não é muito!

Alguns exames e tratamentos médicos expõem o nosso corpo a pequenas doses de radiação. Para que você tenha uma ideia, a exposição média durante um par de segundos para a realização de um raio-x do abdome libera 0,0014 Gy — ou Grey —, enquanto uma dose de apenas 0,35 Gy faria você apresentar sintomas como dor de cabeça, náuseas, febre e fatiga.

Doses mais elevadas

(Fonte da imagem: Thinkstock)

No caso de doses um pouco elevadas de radiação, entre 1 e 4 Gy, por exemplo, as células do corpo já começam a morrer, fazendo com que você apresente hemorragias (devido à falta de plaquetas), anemia (devido à diminuição de glóbulos vermelhos) e problemas com o seu sistema imunológico (devido à queda na contagem de glóbulos brancos), além de queimaduras de pele, que devem surgir durante as primeiras 24 horas.

Entretanto, apesar da gravidade, ainda é possível reverter o quadro através de transfusões de sangue e da administração de antibióticos. Porém, caso você fique exposto a doses entre os 4 e 8 Gy, a situação se complica. Tais doses podem ser fatais, e a forma como você vai morrer depende de diversos fatores, em um processo que pode demorar várias semanas.

Já era!

(Fonte da imagem: Thinkstock)

Com exposições entre os 8 e 30 Gy, você começará a apresentar sintomas severos de náusea e diarreia depois de uma hora, morrendo entre dois dias e duas semanas mais tarde. Doses acima dos 30 Gy causam danos neurológicos, com sintomas que começam a aparecer apenas alguns minutos depois da exposição.

Entre esses sintomas, prepare-se para sofrer tremores, convulsões, perda do controle da musculatura e perda de consciência. Além disso, a morte é segura, ocorrendo em até 48 horas.

Caso você consiga escapar da explosão

(Fonte da imagem: Reprodução/Wikipedia)

Se você tiver a sorte — ou não! — de não morrer logo após a explosão nuclear, isso não quer dizer que você estará livre de problemas. Infelizmente, a radiação não desaparece assim, de uma hora para a outra, e longos períodos de exposição, mesmo que a doses pequenas, também podem ser mortais.

Assim, mesmo que você fique exposto a quantidades superbaixas que não levem você a apresentar nenhum dos sintomas descritos acima, a radiação também pode induzir a mutações genéticas e o desenvolvimento de várias doenças e cânceres, o que também levaria você à morte, mas de uma forma muito mais lenta e igualmente dolorosa.

Fonte: Gizmodo