Maior exposição ao sêmen pode proteger contra vírus HIV,  revela estudo

Maior exposição ao sêmen pode proteger contra vírus HIV, revela estudo

Último Vídeo

Estudo conduzido por cientistas do Winstar Institute da Philadelpia e da Universidade de Porto Rico, publicado na Nature Comunications em 21/08, traz evidências de que a exposição constante ao sêmen aumenta a resistência vaginal ao vírus HIV. Antes que afirmações irresponsáveis possam se propagar, comprometendo esforços de prevenção da AIDS ao redor do mundo, é preciso entender melhor o teor da descoberta. 

As bases para a hipótese levantada foram lançadas em 2015, quando o Dr. Luis Montaner (coautor do estudo atual) realizou uma pesquisa envolvendo profissionais do sexo em Porto Rico. Na ocasião verificou-se que, mesmo expostas frequentemente a sexo sem proteção, a maioria delas era HIV negativa. 

Dr. Luis Montaner, The Wistar Institute

No novo estudo foram utilizados primatas não humanos (NHPs), principal modelo de pesquisas pré-clínicas para intervenções profiláticas anti-HIV. Durante 20 semanas, duas vezes por semana, as fêmeas foram expostas ao sêmen com ou sem partículas inativas do vírus da imunodeficiência símia (SIV), semelhante HIV, que provoca nesses primatas doença análoga à AIDS. Ao final desse período, as fêmeas foram submetidas a baixas doses intravenosas de SIV.

O risco de infecção das fêmeas expostas ao sêmen foi 42% menor em comparação ao grupo controle.  Foram analisados marcadores específicos de ativação imune no ambiente cervicovaginal e na corrente sanguínea dos animais, entre as descobertas podemos destacar: menor expressão do receptor CCR5, que atua como ligação para a entrada do HIV nas células hospedeiras, e níveis mais elevados de citocina CCL5, fator de supressão natural do HIV no compartimento cervicovaginal.

Mais resistentes, mas não imunes

Vale salientar que as fêmeas não infectadas após exposição a baixas quantidades do vírus foram infectadas quando expostas a quantidades maiores. 

Embora o estudo possa apontar caminhos para o desenvolvimento de futuras vacinas contra o HIV, o Dr. Montaner faz um alerta importante:

Mostramos que a exposição ao sêmen pode promover resistência do hospedeiro, mas não protege contra a infecção. Portanto, nossos dados não mudam o fato de que os métodos de prevenção, como uso de preservativos e a PrEP (profilaxia pré-exposição), continuam sendo as melhores estratégias para prevenir a infecção.”

Ou seja, sexo seguro sempre!

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.