Dormir com roupa apertada faz mal à saúde e causa envelhecimento precoce

Você já ouviu falar de melatonina? Esse importante químico, também chamado N-acetil-5-metoxitriptamina, é conhecido como o neurotransmissor antienvelhecimento, devido à sua relação com o nosso envelhecimento.

A melatonina é responsável por regular nosso relógio biológico para descanso e recuperação, principalmente dos nossos neurônios. É esse químico que dita o ritmo do corpo e nos informa se é noite ou dia. Quando você dorme, seu cérebro remove proteínas tóxicas de seus neurônios, que são subprodutos da atividade neural de quando você está acordado.

Quando o Sol se põe, a glândula pineal no cérebro secreta a melatonina, levando-o a dormir, o que atinge seu pico entre 2 e 3 horas da madrugada, no auge da escuridão. Por isso, pessoas cegas precisam de suplementos para regular os níveis de melatonina. Esse neurotransmissor tem relação com o estresse, funciona como antioxidante e ajuda na homeostase, que é o equilíbrio do organismo.

Os aparelhos eletrônicos, como celulares e tablets, emitem uma luz que engana o nosso cérebro, como se fosse a luz do dia, prejudicando a produção desse neurotransmissor.

Agora que você já tem uma noção básica do que é a melatonina, vai descobrir a relação desse químico com o fato de dormir com roupa apertada. Sabemos que o estresse suprime o sistema imunológico, o que aumenta o risco de doenças, como condições cardíacas, depressão e aumento da ansiedade, além de diminuir o desempenho cognitivo.

Pesquisadores da Universidade de Amsterdã descobriram que baixar a temperatura da pele enquanto dorme aumenta a profundidade do sono e também reduz o número de vezes que você acorda durante a noite. Vestir-se apenas com trajes leves e confortáveis é uma ótima maneira de baixar a temperatura da pele sem alterar a do ambiente. Dormir nu deixa você mais confortável e aumenta sua autoestima e sua autoconfiança.

Sobre a roupa apertada e a velhice

A pressão exercida sobre a pele pelas roupas usadas durante o trabalho diurno afeta a excreção urinária de adrenalina, noradrenalina e cortisol, interfere na frequência cardíaca e também na secreção de melatonina à noite.

Roupas apertadas aumentam a temperatura corporal à noite, reduzindo a secreção de melatonina. A ação antioxidante da melatonina minimiza o envelhecimento da pele, previne rugas e também retarda o processo de queda de fios de cabelo. A melatonina tem propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias e também a capacidade de atenuar a apoptose, processo de morte celular.

Isso ocorre porque seus metabólitos auxiliam na desintoxicação de radicais livres, que são moléculas cujos átomos têm um número ímpar de elétrons e, quando incompletas, capturam elétrons de proteínas que compõem a célula para recuperar o número par. Isso cria uma ação em cadeia, pois a célula desfalcada vai se recuperar na célula vizinha e assim por diante.

Situações como poluição do ar, ingestão de alimentos com resíduos de pesticidas ou aditivos químicos, estresse, cigarro, álcool, entre outras, são chamadas de estresse oxidativo.

O excesso de exercícios físicos também leva a um aumento na liberação de radicais livres. Isso se dá pelo aumento do consumo de oxigênio, pela aceleração do consumo de energia, pela elevação da temperatura corporal, entre outros fatores. Viu como a temperatura corporal e a sua elevação são significativas?

***

Fabiano de Abreu Rodrigues, colunista do Mega Curioso, é doutor e mestre em Ciências da Saúde nas áreas de Psicologia e Neurociências pela EBWU (Flórida) e tem o título reconhecido pela Universidade Nova de Lisboa. Mestre em Psicanálise pelo Instituto e Faculdade Gaio/Unesco; pós-graduado em Neuropsicologia pela Cognos em Portugal; pós-graduado em Neurociência, Neurociência aplicada à aprendizagem, Neurociência em comportamento, Neurolinguística e Antropologia pela Faveni do Brasil. Especialista avançado em Nutrição Clínica pela TrainingHouse em Portugal, The electrical Properties of the Neuron, Neurons and Networks e Neuroscience em Harvard (Estados Unidos); bacharel em Neurociência e Psicologia na EBWU na Flórida; licenciado em Biologia e também em História pela Faveni do Brasil; especialista em Inteligência Artificial na IBM e programação em Python na USP; MBA em Psicologia Positiva na PUC.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.