Seja o primeiro a compartilhar

7 coisas que você nem imagina se não for médico

Trabalha na área médica? Se a resposta for não, é muito provável que você não conheça nenhum item dessa lista que trazemos aqui. Elencamos aqui 7 coisas que os médicos costumam saber mas a maioria da população não.

1. Nem todo cirurgião é superinteligente

(Fonte: Clinmed)(Fonte: Clinmed)

Se você tem hábito de assistir a séries médicas, como Grey's Anatomy e ER, sabe que o posto de cirurgião costuma ser visto com o topo da hierarquia entre os médicos. Mas nem sempre isso vai significar que os cirurgiões são superinformados ou megainteligentes na medicina geral.

A verdade é que, normalmente, o clínico geral tem mais conhecimento médico — e o cirurgião entende mais, é óbvio, de cirurgias.

2. Eles tendem a ter riscos altos de suicídio

(Fonte: Medicinasa)(Fonte: Medicinasa)

Pense no pior erro que você cometeu na sua vida. É bem provável que ele não chegue nem aos pés de um equívoco cometido por um médico ou um cirurgião. Cometer um erro médico e ter que viver com ele pode ser intolerável para muitas pessoas. 

Segundo o Journal of the American Medical Association, um médico tira a própria vida todos os dias. A profissão tem altos índices de suicídio, o que se relaciona também com casos de depressão e síndrome de burnout não diagnosticados e não tratados.

3. A caligrafia feia pode levar a mortes

(Fonte: MDig)(Fonte: MDig)

Muitos médicos têm uma letra feia e pouco legível. Ocorre que isso pode levar a mortes, o que eventualmente acontece. Há um número chocante que dizia que 7 mil mortes costumavam ocorrer por ano por conta de medicamentos errados — o que acontecia porque algum farmacêutico interpretava mal a receita prescrita pelo médico. 

Por isso, alegre-se toda vez que o seu médico lhe passar uma prescrição eletrônica — na verdade, esta prática diminuiu em 90% os casos de mortes por medicamentos ministrados erroneamente.

4. O efeito placebo existe

(Fonte: MD Saúde)(Fonte: MD Saúde)

Caso você não saiba, o efeito placebo acontece quando alguém toma uma pílula ou remédio não recomendado para determinada situação de saúde, mas mesmo assim, tem efeitos positivos. Os cientistas explicam que muitas vezes a crença do paciente é suficiente para que ocorra a melhoria de um problema.

Mesmo que os médicos saibam que isto existe, não conseguem explicar o porquê.

5. Os médicos odeiam que seus pacientes consultem o dr. Google

(Fonte: ProDoctor)(Fonte: ProDoctor)

Conhece o dr. Google? Provavelmente sim: ele entra em ação quando você joga os sintomas que sente na ferramenta de busca e tenta descobrir qual é o seu problema de saúde. Estima-se que cerca de 35% dos pacientes chegam ao médico já tendo consultado o Google.

Pois bem, os médicos odeiam que você faça isto. Estes pacientes costumam achar que já têm as respostas para as suas situações — e, muitas vezes, tendem a acreditar nos piores diagnósticos possíveis. Desmentir estas crenças tiradas no Google dá um trabalhão.

6. Nem sempre os médicos precisam examinar o paciente para saber o diagnóstico

(Fonte: Pexels)(Fonte: Pexels)

Muitas vezes, os médicos descobrem o que há com seus pacientes usando apenas a entrevista, mas mesmo assim eles os examinam. Isto acontece porque muitas pessoas não acreditam no diagnóstico do médico caso não tenham sido tocadas por ele.

7. Provavelmente você não espera um tempão no pronto atendimento porque falta equipe médica

(Fonte: Correio Braziliense)(Fonte: Correio Braziliense)

Muitas vezes, as filas de atendimento no pronto socorro acontecem não pela falta de médicos atendendo, mas pelo excesso de gente indo ao hospital sem um "bom motivo", causando a sobrecarga do atendimento. Por isso, é recomendável sempre avaliar se a sua situação é realmente grave ou pode esperar por uma consulta não urgente.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.