Seja o primeiro a compartilhar

MV Wilhelm Gustloff: o mortal naufrágio ofuscado pelo Titanic

Poucos sabem da trágica história do MV Wilhelm Gustloff, um navio cruzeiro alemão construído em 1936 nos estaleiros Blohm & Voss, em Hamburgo. Ele foi encomendado pela Kraft durch Freude (KDF), uma organização que promovia atividades culturais e recreativas, como concertos e festivais, para trabalhadores alemães de todas as classes.

O navio foi entregue à KDF em 15 de março de 1938, sob o comando do capitão Carl Lubbe, e tinha a capacidade para transportar 1.463 passageiros e 417 tripulantes, totalizando 1.880 pessoas em seus 208 metros de comprimento por 56 metros de altura.

(Fonte: Taringa!/Reprodução)(Fonte: Taringa!/Reprodução)

Equipado com 3 armas antiaéreas e 8 canhões, o Gustloff efetuou por volta de 50 viagens recreativas, transportando mais de 70 mil passageiros.

Os quatro torpedos                                      

(Fonte: Pinterest/Reprodução)(Fonte: Pinterest/Reprodução)

Em janeiro de 1945, com o avanço da União Soviética na frente da linha oriental da Alemanha, a derrocada do Terceiro Reich era iminente. Rapidamente, o medo da violência perpetrada pelos soviéticos se espalhou entre a população alemã, forçando Adolf Hitler e Karl Donitz iniciarem a Operação Hannibal: uma evacuação em massa de civis, soldados e equipamentos da Prússia Oriental sitiada pelo Exército Vermelho.

As pessoas foram encaminhadas para a cidade portuária de Gotenhafen, onde o navio Gustloff as esperava para levá-las embora do perigo. A embarcação recebeu a bordo cerca de 9.600 refugiados, ao lado de mil tripulantes, saindo do porto em 30 de janeiro de 1945 sob o comando de Friederich Petersen e Wihelm Zahn.

Entretanto, os alemães não faziam ideia de que a Marinha soviética esperava que aquele tipo de fuga fosse acontecer, posicionando alguns cruzadores de batalha, incluindo o submarino S-13 de Alexander Marinesko, em rotas estratégicas do Mar Báltico.

(Fonte: Pinterest/Reprodução)(Fonte: Pinterest/Reprodução)

Marinesko não pensou duas vezes em ordenar que fossem preparados quatro torpedos e lançados em direção ao Gustloff quando o avistou naquela noite. No primeiro, eles escreveram “Para a Pátria”; no segundo, “Para Stalin”; no terceiro, “Para o povo soviético”; e no quarto, “Para Leningrado”. Apenas o segundo torpedo não atingiu seu alvo.

Às 21h, o Wilhelm Gustloff foi atacado bem na proa. Não demorou muito para que começasse o maior e mais mortal naufrágio da história, ofuscado pelo gigante RMS Titanic até hoje.

Entre as pessoas que não foram pisoteadas ou que caíram enquanto o navio virava nas águas, apenas 964 delas foram salvas antes que o Gustloff sumisse da superfície, às 22h18. Cerca de 9 mil pessoas morreram aquele dia, das quais 4 mil eram crianças e adolescentes.

Devido ao sentimento de repúdio aos alemães que prevalecia no mundo todo, ninguém lamentou as vidas que foram perdidas naquele dia.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.

Comentários

Você já percebeu que passamos por algumas mudanças por aqui, né? Uma delas é melhorar também o nosso campo de comentários - e nada melhor do que você, nosso leitor, para nos ajudar e garantir que a gente esteja no caminho certo. Substituímos temporariamente nossos comentários por uma pesquisa rápida para implementarmos mais uma melhoria. Como você acredita que nossa interação pode ser mais próxima aqui?

CLIQUE AQUI PARA RESPONDER