161
Compartilhamentos

7 curiosidades sobre a Etiópia, país onde o ano tem 13 meses

A Etiópia é um fascinante país africano que, além de ser um dos maiores abrigos para patrimônios internacionais, conta com uma história distinta que trouxe grandes impactos para a nação. Intrigante e curiosa, a região que revelou ao mundo o lendário fóssil do Australopithecus afarensis Lucy surge como um destino pouco visado pelas pessoas, mas com grandes potenciais geográfico, econômico e social, especialmente por conta de sua importância para o continente e para os estudos documentais.

Confira abaixo algumas curiosidades que provam o porquê da Etiópia ser um país tão distinto.

1. A diferente contagem do tempo

(Fonte: Society6 / Reprodução)(Fonte: Society6 / Reprodução)

Além de ser o único país do mundo com um sistema de tempo de 12 horas dividido entre período diurno e noturno, com o relógio começando a contabilizar a partir do momento em que o dia se inicia, a Etiópia conta com um calendário distinto, que inclui um 13° mês no ano. Isso ocorre porque os etíopes não adotaram o sistema aplicado pela Igreja Católica (a partir do ano 500 d.C.), fazendo o Ano-Novo no país ocorrer em 11 de setembro, ou 12 de setembro em anos bissextos, e o Natal ser celebrado em 7 de janeiro.

Assim, enquanto no Ocidente há meses que se revezam entre 30 e 31 dias, na Etiópia há 12 meses com 30 dias e um último com 5 ou 6 dias, de acordo com a época de ano bissexto.

2. O berço da África

(Fonte: Future Generation University / Reprodução)(Fonte: Future Generation University / Reprodução)

Fundada em 980 a.C., a Etiópia é o país independente mais antigo da África, de acordo com vestígios de 3,2 milhões de anos encontrados em Afar, 1972, por Donald Johanson e Tim D. White. Além disso, a região configura como o 2° país mais populoso do continente, com 115 milhões de habitantes.

3. Independência histórica

(Fonte: Getty Images / Reprodução)(Fonte: Getty Images / Reprodução)

A Etiópia é o único país africano que nunca chegou a ser efetivamente colonizado, visto a dedicação de seu povo em travar oposição contra o domínio estrangeiro. O caso mais claro de tentativa de dominação ocorreu em 1889, quando a Itália enviou militares para a região e os manteve ocupados por cerca de 6 anos. 

Porém, as forças etíopes combateram a possibilidade de submissão europeia desde o 1° dia e impediram as tropas de se espalhar pelo país, com a eclosão da Batalha de Adwa e a consequente derrota e expulsão da Itália em março de 1896.

4. A origem do café

(Fonte: Absolute Ethiopia / Reprodução)(Fonte: Absolute Ethiopia / Reprodução)

Segundo relatos, um pastor de cabras etíope do século IX, ao perceber que seus animais haviam mordido um determinado arbusto e ficado energizados, decidiu provar o alimento por conta própria. Assim, o homem pegou as plantas, levou para um mosteiro, esquentou em uma fogueira e dissolveu em água, atraindo inúmeros monges para experimentar uma xícara do que mais tarde ficou conhecido como café.

5. A Arca da Aliança

(Fonte: Absolute Ethiopia / Reprodução)(Fonte: Absolute Ethiopia / Reprodução)

Acredita-se que a Arca da Aliança, artefato bíblico que contém os Dez Mandamentos originais, esteja localizada em uma igreja na Etiópia. A relíquia supostamente estaria em vigilância na Igreja Nossa Senhora Maria de Sião de Aksum e não poderia ser observada nem por seus guardiões.

6. O lugar mais quente da Terra que é habitado 

(Fonte: Absolute Ethiopia / Reprodução)(Fonte: Absolute Ethiopia / Reprodução)

Localizada no norte da Etiópia, a região de Dallol foi classificada como o lugar habitado mais quente da Terra graças a temperaturas médias registradas entre 1960 a 1966, quando os termômetros indicaram 34 °C. A temperatura média diária, estabelecida no mesmo período, chegou a atingir 41 °C.

7. O lar do movimento rastafári

(Fonte: AFP / Reprodução)(Fonte: AFP / Reprodução)

Embora o movimento rastafári tenha evoluído na Jamaica, suas raízes apontam para a Etiópia, quando Ras Tafari (ou Chefe Tafari), de 38 anos, foi coroado como 1° Haile Selassie (figura considerada símbolo religioso e o Deus encarnado). Parte dessa história é contada na discografia do eterno Bob Marley, que inclui menções ao retorno à África e ao discurso do imperador etíope na Assembleia-Geral das Nações Unidas em 1963, pedindo paz mundial.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.