Seja o primeiro a compartilhar

5 das farsas mais famosas da história

Algumas histórias são tão bem contadas que podem nos fazer acreditar nas farsas mais absurdas. Gigantes, alienígenas, fadas e tesouros. Cada geração já teve seu "ouro de tolo" e, sem sombra de dúvidas, isso é um fato diante de tantas fraudes.

A humanidade já assistiu a pessoas fazerem os maiores absurdos para darem "ares de realidade" ao que desejam que outras pessoas acreditem. Foi pensando nisso que apresentamos a vocês neste artigo seis das farsas mais famosas e curiosas da história. 

1. Homem de Piltdown

(Fonte: Getty Images)(Fonte: Getty Images)

Essa farsa durou 40 anos, até 1953, quando pesquisadores revelaram que o esqueleto pré-histórico conhecido como Homem de Piltdown era, na realidade, um fóssil forjado.

Em 1912, o arqueólogo amador Charles Dawson anunciou ter descoberto, em uma pedreira em Piltdown, na Inglaterra, o "elo perdido" entre o homem e o macaco. À época, o fóssil foi datado entre 200 mil e 500 mil anos de idade.

Levado ao Museu de História Natural de Londres, sua importância foi alvo de disputa entre pesquisadores por 40 anos. Tudo mudou quando especialistas alemães e franceses levantaram a possibilidade de se tratar de uma fraude. Um estudo intensivo mostrou que o crânio não tinha mais que 600 anos de idade.

2. Autópsia Alienígena de Roswell

(Fonte: Aventuras na História)(Fonte: Aventuras na História)

Em 1995, o vídeo de uma suposta autópsia de um extraterrestre encontrado em Roswell, nos Estados Unidos, causou polêmica e levantou inúmeras teorias da conspiração. O suposto alienígena teria passado por uma autópsia que foi gravada em vídeo, exibindo um corpo de aparência humanoide sendo dissecado por supostos cirurgiões.

Porém, descobriram que esse não era um vídeo de 1947 e, sim, uma produção feita a pedido de um empresário. O alienígena era, na realidade, um boneco feito por John Humphreys, especialista em efeitos especiais de Hollywood; enquanto os órgãos são de animais mortos. A gravação foi feita a pedido do empresário Ray Santilli.

Inúmeras emissoras de TV adquiriram a filmagem, exibida primeiro pela FOX no dia 28 de agosto de 1995. Ao menos 11,7 milhões de espectadores assistiram ao vídeo da farsa, que só foi admitida pelo empresário em 2006.

3. O Priorado de Sião

(Fonte: History/Reprodução)(Fonte: History/Reprodução)

O Priorado de Sião é uma fraude com origem na ambição. Pierre Plantard era um francês que desejava se proclamar herdeiro da dinastia merovíngia, que governou a Gália e a Germânia de 500 a 751, onde estão localizadas atualmente a França, a Bélgica, uma parte da Alemanha e da Suíça.

Para atingir seu objetivo, Plantard desenvolveu uma genealogia fantasiosa na qual indicou que seus integrantes descendiam de Jesus Cristo. De acordo com a teoria, os merovíngios ocupariam um lugar sagrado de poder na Terra. A tese do francês teve seu auge após a publicação dos livros O Santo Graal e a Linhagem Sagrada (1982) e O Código Da Vinci (2003).

O Priorado de Sião seria algo como uma sociedade secreta. Os documentos apresentados por Pierre Plantard à Biblioteca Nacional foram desmentidos em 1979, quando um dos envolvidos na elaboração do falso material admitiu que eles eram uma fraude.

4. Foto do Monstro do Lago Ness

(Fonte: BBC Brasil)(Fonte: BBC Brasil)

Lá se vão quase 90 anos do registro fotográfico de uma das criaturas mais icônicas do imaginário coletivo. Robert Wilson foi creditado como o responsável pela captura da imagem mais famosa da criatura conhecida como Monstro do Lago Ness, que viveria no lago localizado nas Terras Altas da Escócia.

Divulgada na década de 1930, essa é uma fraude armada por um diretor de cinema chamado Marmaduke Wetherell, como vingança contra o jornal Daily Mail, que o humilhou ao desmascarar as pegadas que sugeriu serem do monstro durante uma expedição contratada pelo próprio Daily Mail para encontrar o suposto animal.

5. Gigante de Cardiff

(Fonte: Biblioteca Nacional)(Fonte: Biblioteca Nacional)

O gigante de Cardiff é daquelas farsas que valem, ao menos, uma boa risada. Ele seria uma estátua de um "homem petrificado" de 3 metros de altura, encontrado na cidade de Cardiff, no interior de Nova York.

Após discutir uma passagem bíblica com um cristão fervoroso, o ateu George Hull, dono de uma tabacaria de Nova York, decidiu mandar esculpir o gigante, dar-lhe ares de um artefato antigo real e enterrá-lo. Descoberto, o gigante de Cardiff virou uma grande atração turística e foi "vítima" de uma cópia, feita por PT Barnum, dono de um circo que desejava alugar a imagem.

Como lhe foi negado, Barnum mandou esculpir um gigante semelhante e passou a se referir a ele como "o original". A farsa durou 1 ano, até fevereiro de 1870, quando um tribunal decidiu que ambas as peças eram falsas. Se você for a Cooperstown, em Nova York, ainda consegue vê-lo exposto no museu.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.