Alemanha criou supercães de caça entre as Guerras Mundiais

Alemanha criou supercães de caça entre as Guerras Mundiais

Último Vídeo

Durante a tensão estabelecida entre as duas grandes guerras, cinologistas alemães, inspirados pelo instinto nacionalista de “superioridade”, desenvolveram uma super-raça de cão especializada na caça e no combate, a fim de prevalecer em meio ao domínio estrangeiro. Conhecido como terrier-alemão-de-caça, ou Jagdterrier, o cachorro surgiu como uma letal máquina de batalha, mesmo sendo considerado um animal de pequeno porte.

Criado em meados do século XIX, o Jagd foi uma evolução do doméstico Fox Terrier, que na época era considerado um cão unicamente de exposição. Idealizado pelos cientistas Walter Zangenberg, Carl Erick Grunewald e Rudolph Friess, o animal ainda é um mistério para os estudiosos, que buscam identificar suas origens e os genes que serviram como base para seu desenvolvimento.

(Fonte: Oddity Central/Reprodução)
(Fonte: Oddity Central/Reprodução)

Segundo historiadores, a espécie foi o resultado de cruzamentos entre linhagens de Old English Terrier e Fox Terrier, na tentativa de alcançar um animal com níveis de excelência em todos os tipos de caça. Enquanto isso, outros pesquisadores acreditam que também havia a presença de sangue do Pinscher e do Teckel, o que justificaria um comportamento hostil contra seres próximos.

Este violento cãozinho chegou a se destacar, na época, pelas incríveis qualidades físicas, capazes de torná-lo tão imponente quanto suas presas, além de contar com o olfato apurado para identificar rastros e pistas, a impressionante resistência à dor e a ferimentos, e a determinação, algo que o colocou como um dos mais agressivos e valentes entre os canídeos.

O impacto do pós-guerra

Após o fim da Segunda Guerra Mundial, poucos Jagdterriers restaram no território alemão, com apenas 32  sendo encontrados em todo o país. Felizmente, a raça conseguiu se reerguer rapidamente, sendo considerada fisicamente superior durante a exposição World Dog Show de 1965 em Brno, República Tcheca, quando concorreu, em diversas competições, contra inúmeros outros cães.

Com o tempo e o fim das atividades voltadas especificamente para a caça, foi possível domesticar os terriers-alemães, apesar de ainda haver alguns sobreavisos em relação à sua educação. 

Mesmo sendo disciplinados e extremamente fieis aos donos, seguindo estritamente cada ordem dada, especialistas reforçam seu passado como animais perigosos, algo que pode vir a ter impacto direto em sua forma de se relacionar com outros animais.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.