Seja o primeiro a compartilhar

Espécie rara de abelha é redescoberta após quase um século

Durante um estudo de campo no Estado de Queensland, Austrália, o pesquisador James Dorey encontrou uma rara espécie de abelha que era considerada oficialmente extinta, já que não houve mais registros de sua existência desde 1923.

Classificado como um evento de sorte, o achado de Dorey marca um reinício para o estudo da Pharohylaeus lactiferus, popularmente conhecida como "abelha-mascarada", visto que apenas seis indivíduos foram identificados anteriormente no país, sendo o último há quase um século. A espécie é a única pertencente ao gênero Pharohylaeus e possui semelhanças com a europeia Apis mellifera, apesar de ser nativa da Oceania.

“Eu jamais esperei encontrar algumas delas”, disse o pesquisador, em entrevista à Live Science. “Mas, agora, capturamos muito mais abelhas do que naquela época”.

Após descobrir o primeiro espécime, o pesquisador explorou cerca de 245 regiões entre Queensland e Nova Gales do Sul, na tentativa de encontrar novas colônias que se assemelhassem fisicamente à abelha-mascarada. "Saber que P. lactiferus não tinha sido encontrada por tanto tempo significou que eu estava de olho nisso enquanto eu amostrava meu caminho até a costa", disse Dorey. "Uma vez que eu consegui encontrar o primeiro espécime eu tinha um lugar para começar e a oportunidade de procurar mais."

(Fonte: James Dorey - Journal of Hymenoptera Research / Reprodução)(Fonte: James Dorey - Journal of Hymenoptera Research / Reprodução)

No total, o doutorando da Universidade Flinders encontrou três grupos espalhados pela costa leste da Austrália, cada qual curiosamente habitando em um local geograficamente distinto, com diferentes tipos de vegetação e predominância de árvores roda-de-fogo e árvore-de-fogo-de-Illawarra.

O impacto ambiental sob os insetos

Apesar dos falhos registros históricos não detalharem mais sobre as estatísticas de aparições e desaparecimentos das abelhas na Austrália, Dorey acredita que seu sumiço em larga escala tenha relação direta como o desmatamento e os incêndios florestais que tomaram conta do continente nos últimos anos, que aliados às mudanças climáticas e ao aquecimento global indicam que "essas ameaças potenciais provavelmente piorarão", impedindo a recolonização em outros espaços 

"Onde essas abelhas foram encontradas, esse tipo de floresta tropical sofreu destruição e fragmentação de habitats", disse Dorey. "Isso significa que há menos desse habitat disponível. Se não fôssemos olhar, então o declínio das espécies certamente passaria despercebido e a proteção das espécies seria impossível”, concluiu.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.