104
Compartilhamentos

Veja em imagens como o aumento do nível do mar afetaria as cidades

A organização sem fins lucrativos Climate Central divulgou uma pesquisa assustadora revelando os impactos das mudanças climáticas para os principais centros urbanos do planeta. O estudo teve como base a renderização de imagens tridimensionais comparando o passado e o futuro de regiões que podem sofrer com o aumento do nível o mar caso as políticas de combate ao aquecimento não sejam devidamente implantadas, levando em consideração a urgência das iniciativas e a tomada de ações eficazes.

O projeto — publicado na revista Environmental Research Letters e feito em parceria com a Universidade Princeton (Estados Unidos) e com o Instituto Potsdam de Pesquisa de Impacto do Clima (Alemanha) — revelou que centenas de áreas costeiras, abrigadas por mais de 1 bilhão de pessoas, estão sob risco de inundações "sem precedentes". Tal fatalidade poderia ocorrer caso a Terra presenciasse uma elevação de até 3 °C de temperatura nas próximas décadas, média estipulada como uma realidade, de acordo com estudiosos da área.

"O aumento do nível do mar é uma ameaça à nossa herança", disse Anders Levermann, professor de dinâmicas de sistemas climáticos do Instituto Potsdam. "E não apenas às nossas heranças antigas, mas das cidades em que vivemos hoje. São esses locais nas quais as ações de agora deixam o mundo preparado para a próxima geração".

Mesmo em um cenário mais otimista, com a probabilidade de um aumento de até 1,5 °C caso a emissão de gases do efeito estufa fosse reduzida até atingir o patamar zero em 2050, cerca de 100 cidades costeiras de 39 países diferentes sofreriam com o domínio das águas. Entre as nações, o destaque fica para regiões da Ásia, como China, Índia, Indonésia e Vietnã, que teriam parte de seus territórios afetados.

Dessa forma, quase todo o litoral brasileiro, por exemplo, seria ocupado pelas águas do Atlântico, com regiões como Salvador, Fortaleza, Recife, Porto Alegre e Rio de Janeiro vendo suas ruas e seus portos perderem parte de suas infraestruturas urbanas para serem uma espécie de ilha civilizatória. Bairros desapareceriam, coberturas vegetais se tornariam submersas e a dinâmica social seria completamente alterada pelo evento climático, caracterizando uma preocupação palpável especialmente em locais com maior densidade.

Confira abaixo alguns comparativos entre o aumento otimista (1,5 °C) e o pessimista (3 °C) em diversos países.

Salvador (BA), Brasil

(Fonte: Climate Central / Reprodução)(Fonte: Climate Central / Reprodução)

Recife (PE), Brasil

(Fonte: Climate Central / Reprodução)(Fonte: Climate Central / Reprodução)

Fortaleza (CE), Brasil

(Fonte: Climate Central / Reprodução)(Fonte: Climate Central / Reprodução)

Porto Alegre (RS), Brasil

(Fonte: Climate Central / Reprodução)(Fonte: Climate Central / Reprodução)

Rio de Janeiro (RJ), Brasil

(Fonte: Climate Central / Reprodução)(Fonte: Climate Central / Reprodução)

Dhaka, Bangladesh

(Fonte: Climate Central / Reprodução)(Fonte: Climate Central / Reprodução)

Havana, Cuba

(Fonte: Climate Central / Reprodução)(Fonte: Climate Central / Reprodução)

Londres, Inglaterra

(Fonte: Climate Central / Reprodução)(Fonte: Climate Central / Reprodução)

Califórnia, Estados Unidos

(Fonte: Climate Central / Reprodução)(Fonte: Climate Central / Reprodução)

Sevilha, Espanha

(Fonte: Climate Central / Reprodução)(Fonte: Climate Central / Reprodução)

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.