Seja o primeiro a compartilhar

6 novas descobertas de cair o queixo sobre buracos negros

Nas últimas décadas, o espaço sideral vem sendo palco para algumas das maiores descobertas já realizadas pela humanidade, e hoje já é possível entender um pouco mais sobre o funcionamento de diversos eventos distantes de nosso planeta, como os buracos negros.

A cada novo conhecimento adquirido a respeito dos fenômenos, mais se comprova a necessidade de explorar cada canto do Cosmos e avançar nos estudos da área, visto que essas estruturas colossais têm muito potencial para contar um pouco mais sobre a história do Universo.

Conheça algumas das descobertas recentes e mais relevantes para a Ciência sobre buracos negros e entenda um pouco mais acerca da grandiosidade dos misteriosos fenômenos galácticos.

1. A luz por trás do buraco negro

(Fonte: Getty Images / Reprodução)(Fonte: Getty Images/Reprodução)

Em julho de 2021, astrônomos da Universidade de Stanford detectaram oficialmente os primeiros flashes de luz por trás de um buraco negro, comprovando a teoria que Einstein havia proposto em meados de 1915, afimando que o fenômeno permite a livre movimentação de feixes luminosos ao redor de seu centro de massa.

Até então, os sinais haviam sido observados apenas na frente do fenômeno, mas os estudos avançados das revolucionárias lentes gravitacionais identificaram emissões de raios X deixadas como rastros após uma explosão de raios gama na região.

2. Distorção de objetos próximos

(Fonte: Science News / Reprodução)(Fonte: Science News/Reprodução)

Proposto como um objeto pesado capaz de alterar a estrutura do espaço-tempo, o buraco negro também traz impactos para inúmeros corpos que se aproximam de seu horizonte, expandindo suas dimensões à medida que estão mais perto. Muitos desses corpos, que os cientistas passaram a chamar de "objetos G", surgiram como resultado da união entre duas estrelas atraídas pelo centro gravitacional do fenômeno, e até o momento seis desses incríveis materiais já foram detectados na Via Láctea.

3. Buracos de minhoca disfarçados

(Fonte: Quanta Magazine / Reprodução)(Fonte: Quanta Magazine/Reprodução)

Os buracos de minhoca são conhecidos pela ficção científica como um dos principais mecanismos espaciais responsáveis pelo transporte de pessoas entre dimensões paralelas. Porém, de acordo com o astrônomo Mikhail Piotrovich, um dos principais responsáveis pela procura dos túneis no Cosmos, é possível que alguns desses eventos já tenham sido observados por cientistas na forma de buracos negros disfarçados.

Isso, porque ambas as regiões possuem muitas características similares, como a densidade e as influências gravitacionais; a diferença é que o buraco de minhoca permite que viajantes entrem e saiam.

4. Fusão de buracos negros: o buraco negro supermassivo

(Fonte: Wikipedia / Reprodução)(Fonte: Wikipedia/Reprodução)

Pesquisadores acreditam que a colisão de dois buracos negros resulta na liberação de uma poderosa onda de luz até 1 trilhão de vezes mais brilhante que o Sol. Essas explosões, que podem ocorrer até mesmo com mais de duas regiões simultâneas, exalam uma quantidade imensurável de gás e poeira ao redor e são consideradas o princípio para a formação dos buracos negros supermassivos após uma reação em cadeia, unindo os núcleos através da forte atração gravitacional entre eles. Até o momento, mais de 60 fusões foram registradas.

5. Buraco negro de massa improvável

(Fonte: Thred / Reprodução)(Fonte: Thred/Reprodução)

O buraco negro mais pesado já detectado foi revelado em 2020, como parte do estudo sobre as colisões possíveis entre núcleos distintos. Na pesquisa, cientistas observaram um buraco negro ir de encontro a outro com massa até 85 vezes maior que a do Sol, resultando em um fenômeno inédito quase 150 vezes mais pesado que a estrela anã da Via Láctea. A descoberta, classificada como "maravilhosamente inesperada", evidencia o que pode ter ocorrido quando o Universo possuía metade de sua vida atual, com aproximadamente 7 bilhões de anos.

6. Ondas de rádio em jatos

(Fonte: EHT / Reprodução)(Fonte: EHT/Reprodução)

Em julho de 2021, o projeto Telescópio de Horizonte de Eventos (EHT), composto por oito observatórios de rádio espalhados pelo mundo, divulgou as primeiras imagens de um buraco negro lançando jatos de ondas de rádio. O fenômeno, ocorrido na galáxia lenticular Centaurus A, chamou a atenção por emitir uma quantidade de energia muito maior que a liberada pela Via Láctea e marcou a primeira vez que um evento do tipo foi apresentado visualmente com tanta precisão e clareza.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.