Seja o primeiro a compartilhar

Sonda da NASA consegue 'tocar' o Sol em feito inédito

Na última terça-feira (14), a National Aeronautics and Space Administration (NASA) divulgou a excelente notícia de que uma de suas sondas conseguiu tocar o Sol pela 1ª vez. A nave espacial chegou até uma região chamada corona, na atmosfera superior da estrela, onde a temperatura é de cerca de 11 milhões de graus Celsius. 

O sucesso da missão, lançada em 2018, é um grande marco para o mundo da Astronomia, visto que pode trazer informações essenciais para a compreensão do nosso Sol.

Sonda foi lançada em 2018. (Fonte: Wikipedia/Reprodução)Sonda foi lançada em 2018. (Fonte: Wikipedia/Reprodução)

Por que isso é importante?

O pouso na Lua permitiu que os astrônomos conseguissem entender como ela foi formada, assim como nosso Sistema Solar. Algo semelhante se espera com a Parkar Solar Probe: a NASA avalia que conseguir tocar a substância da qual o Sol é feito vai ajudar os cientistas a obter informações cruciais sobre a estrela mais próxima da Terra.

Em um comunicado divulgado à imprensa, Thomas Zurburchen, da diretoria de missões científicas da NASA, informou que: "este marco não apenas nos fornece insights mais profundos sobre a evolução do Sol e seus impactos em nosso Sistema Solar, mas também tudo o que aprendemos sobre nossa própria estrela nos ensina mais sobre outras no resto do universo”.

Os cientistas da NASA explicaram que o Sol não tem uma superfície sólida em sentido literal, mas sim uma atmosfera em temperaturas altíssimas, composta de material solar ligada à estrela por forças magnéticas e pela gravidade.

À medida que a temperatura aumenta e a pressão expulsa esses materiais para longe do Sol, há um ponto específico onde os campos magnéticos e a gravidade já são fracos para segurá-los.

Esse ponto é chamado de superfície crítica de Alfvén e serve como um marcador entre o fim da atmosfera solar e o início dos ventos solares. Em abril deste ano, em seu 8° sobrevoo, a Parker conseguiu ultrapassar esse ponto crítico, dando início a sua entrada na atmosfera solar. Conforme a sonda mergulhava mais fundo na atmosfera, cerca de 10 milhões de quilômetros, ela conseguia chegar às estruturas massivas que se elevam acima da superfície do Sol.

A Parker Solar Pobre foi lançada em 2018 com o objetivo específico de explorar o Sol. Foi a espaçonave que conseguiu chegar mais perto da estrela, sendo que levou apenas 3 anos após o seu lançamento para tocar a coroa solar. No entanto, a sua concepção já tem várias décadas.

O próximo voo rasante de Parker está previsto para acontecer em janeiro de 2022. Estamos na torcida!

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.