Seja o primeiro a compartilhar

Camaleão-de-labord é filmado realizando exibição colorida antes de morrer

Animais que conseguem mudar de cor são observados com mais frequência na natureza do que nós podemos imaginar e em diferentes espécies, habitats e até mesmo partes do corpo. As renas, por exemplo, possuem olhos que mudam de cor ao longo do inverno e certos peixes podem adquirir uma coloração preta ao ficarem com raiva.

Dentro desse tópico, pesquisadores documentaram algo extremamente fascinante: um camaleão-de-labord fazendo uma incrível exibição de cores nos momentos finais da sua vida. Essa foi a primeira vez na história que cientistas foram capazes de filmar algo do gênero na natureza.

Leia também: Morcegos de pênis gigantes fazem sexo por até 12 horas sem parar

Reta final da vida

(Fonte: GettyImages)(Fonte: Getty Images)

Em entrevista ao Live Science, a herpetologista do Museu Americano de História Natural, Chris Raxworthy, e a produtora Valeria Fabbri-Kennedy celebraram a captura inédita das imagens finais de um camaleão-de-labord. “Ao analisar as imagens, ficamos impressionados e comovidos com o espetáculo colorido que haviam filmado – algo que os cientistas nunca haviam observado na natureza antes”, destacaram.

Usando o método de fotografia por lapso de tempo para a nova série da rede de televisão PBS, Big Little Journeys, a equipe de pesquisadores registrou as últimas horas coloridas da vida de um camaleão na Floresta Kirindy, no oeste de Madagascar. Os pesquisadores observaram o animal botando seus ovos e cobrindo-os para protegê-los do clima extremo da estação seca da região.

“As fêmeas colocam toda a sua energia na produção de ovos que precisam passar pela longa seca enquanto estão no subsolo”, disseram Fabbri-Kennedy e Raxworthy. Por conta de todo esse desgaste fisiológico, os camaleões-de-labord acabam morrendo poucas horas depois de colocarem seus ovos, uma vez que possuem poucos recursos restantes.

Espetáculo colorido

A exibição colorida dos camaleões-de-labord ocorre devido a várias camadas de células em suas peles. De acordo com os cientistas, a camada superior é transparente, enquanto as camadas abaixo contêm células conhecidas como cromatóforos. Cada cromatóforo tem um tipo diferente de pigmento, sendo que alguns deles são mais profundos e contêm melanina.

Quando um camaleão muda de temperatura ou de humor, os "sacos" de cromatóforos são acionados e os pigmentos são ativados pelo sistema nervoso — o qual produz toda uma gama de cores no corpo dessas incríveis criaturas. “Durante a morte, os sinais nervosos continuam a transmitir e a mudar a forma das células da pele, criando os padrões caóticos em tecnicolor que foram capturados”, afirmaram as pesquisadoras.

Porém, o camaleão-de-labord é uma espécie incomum que possui uma vida útil de apenas quatro a cinco meses. Inclusive, eles passam a maior parte de suas vidas na forma de ovo, desenvolvendo-se durante nove meses antes da eclosão. Os filhotes normalmente emergem em novembro e podem procriar dois meses depois. Em fevereiro, eles apresentam seus primeiros sinais de envelhecimento e até caem das árvores devido à aderência enfraquecida.

Os especialistas acreditam que esta redução da vida útil pode ser para lidar com as duras variações das estações em Madagascar. De qualquer forma, a última exibição colorida de uma fêmea da espécie é definitivamente um dos tantos fenômenos intrigantes que a natureza ao nosso redor esconde. 

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.