5 distúrbios horripilantes com nomes inspirados em personagens famosos
329
Compartilhamentos

5 distúrbios horripilantes com nomes inspirados em personagens famosos

Último Vídeo

“A vida imita a arte muito mais do que a arte imita a vida” é uma das célebres citações do escritor irlandês Oscar Wilde. Junto de Dorian Gray – um de seus personagens mais famosos –, outros nomes de personalidades fictícias foram escolhidos para batizar síndromes e distúrbios pouco conhecidos e estudados pela Medicina.

A realidade do mundo em que vivemos e a fantasia que encontramos nos livros estão mais próximas do que imaginamos. Sem esquecer que a vida imita a arte, encontramos relatos de transtornos de comportamento que nos remetem aos conflitos e às contradições presentes em personagens mundialmente conhecidos.

Isso fez com que médicos, psicólogos e psiquiatras elegessem personagens da literatura como inspiração para nomear cinco síndromes pra lá de esquisitas. Confira cada uma delas abaixo:

1) Síndrome de Alice no País das Maravilhas

Ilustração de John Tenniel para o livro (1865). Fonte da imagem: Reprodução/Project Gutenberg

  • A personagem: Alice, uma menina que cai em um mundo de fantasias povoado por criaturas que mudam de forma, sendo que ela mesma muda de tamanho durante a história;
  • O livro: “As Aventuras de Alice no País das Maravilhas”;
  • O autor: Lewis Carroll;
  • A síndrome: a doença foi identificada pelo psiquiatra inglês John Todd em 1955. Conforme a descrição dos pesquisadores da Universidade de Winconsin, a pessoa que sofre com a Síndrome de Alice no País das Maravilhas frequentemente sente alterações na imagem corporal e percebe distorções de tamanho, massa e forma, assim como sua posição no espaço – semelhante às mudanças vividas pela personagem da história. A falta de orientação e as alucinações visuais, auditivas e táteis do paciente podem levar a enxaquecas e uma série de desconfortos para se locomover. Suspeita-se de que o próprio Lewis Carroll sofresse do distúrbio quando criou a personagem.

2) Síndrome de Peter Pan

Capa da edição inglesa do livro (1911). Fonte da imagem: Reprodução/Wikimedia Commons

  • O personagem: Peter Pan, um menino que se recusa a crescer porque prefere passar sua vida vivendo aventuras mágicas;
  • O livro: “Peter e Wendy”;
  • O autor: J. M. Barrie;
  • A síndrome: o transtorno tem sido estudado e popularizado a partir do trabalho do Dr. Dan Kiley, que já escreveu dois livros sobre o tema. Assim como o personagem, os pacientes acometidos pela Síndrome de Peter Pan são marcados pela imaturidade com que tratam questões importantes da vida: “Ele é um homem por causa da sua idade, mas uma criança por causa de seus atos”, descreve o pesquisador. A síndrome é mais comum em homens e faz com que eles tenham dificuldade para lidar com problemas e se relacionar com outras pessoas, apresentando atitudes infantis e inadequadas.

3) Síndrome de Rapunzel

Ilustração de Johnny Gruelle para o livro. Fonte da imagem: Reprodução/Wikimedia Commons

  • A personagem: Rapunzel, uma moça que vivia no alto de uma imensa torre e que, por nunca ter cortado o cabelo, cultivava longas tranças;
  • O livro: “Contos de Grimm”;
  • Os autores: Irmãos Grimm;
  • A síndrome: a condição foi descrita pela primeira vez em 1968, mas, por ser rara, teve apenas 24 casos relatados até 2008, de acordo com o periódico World Journal of Gastroenterology. Segundo a descrição encontrada em um relato de caso que aconteceu no Brasil, a Síndrome de Rapunzel é mais comum entre meninas adolescentes que apresentam transtornos psicológicos. A doença em si consiste no acúmulo de cabelos no estômago – que foram engolidos, mas que não podem ser digeridos pelo organismo –, os quais formam um bolo e, em alguns casos, se estendem até o intestino delgado e adquirem forma semelhante a uma trança.

4) Síndrome de Dorian Gray

Cena do filme “O Retrato de Dorian Gray” (1945). Fonte da imagem: Reprodução/I Am Cinema

  • O personagem: Dorian Gray, um jovem que faz a difícil escolha de não envelhecer para aproveitar os prazeres da vida;
  • O livro: “O Retrato de Dorian Gray”;
  • O autor: Oscar Wilde;
  • A síndrome: a doença foi descrita pelo International Journal of Clinical Pharmacology and Therapeutics em 2011, o que nos mostra que se trata de um transtorno bastante recente. A pressão causada pela mídia sobre a aparência de cada um de nós pode fazer com que algumas pessoas não aceitem os defeitos do próprio corpo. Essa insatisfação, junto com uma espécie de repúdio aos sinais do tempo, faz com que os pacientes que sofrem da Síndrome de Dorian Gray se tornem narcisistas e tenham medo de envelhecer, assim como o personagem. Em geral, essas pessoas acabam recorrendo a cosméticos, tratamentos estéticos e procedimentos cirúrgicos na tentativa de reverter os efeitos e tentar buscar a “juventude eterna”.

5) Síndrome de Otelo

Otelo e Desdêmona em uma montagem de 1964. Fonte da imagem: Reprodução/Always Iambic

  • O personagem: Otelo, um homem que se deixa enganar pela ilusão de que está sendo traído por sua esposa e acaba por matá-la de tanto ciúme;
  • O livro: “Otelo – O Mouro de Veneza”;
  • O autor: William Shakespeare;
  • A síndrome: os primeiros relatos sobre o transtorno também foram registrados pelo Dr. John Todd, o mesmo que identificou a Síndrome de Alice no País das Maravilhas. Também conhecida como “ciúme mórbido”, a doença é uma psicopatologia que costuma acometer homens e consiste na ilusão que o paciente tem de que está sendo traído por sua parceira. As acusações de infidelidade, a busca por evidências, a perseguição constante e os testes para provar a lealdade da parceira são algumas das características que fazem parte do distúrbio. Irritabilidade, hostilidade e agressividade são sintomas que compõem o quadro e podem ser encontrados também na história de Otelo.
Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.