Você pode não acreditar, mas esta imagem da Lua não foi “photoshopada”!
1.178
Compartilhamentos

Você pode não acreditar, mas esta imagem da Lua não foi “photoshopada”!

Último Vídeo

Sabe quando ocorrem as superluaseclipses e outros eventos astronômicos em que o nosso satélite fica em evidência e circulam imagens em que ele parece absurdamente gigante? Muita gente atribui o resultado a uma bela dose de “Photoshop” — e, muitas vezes, esse realmente é o caso! Mas, conforme você vai ver a seguir, nem sempre o deslumbrante efeito é obtido por meio de editores!

O vídeo que você vai ver a seguir foi capturado por um astrônomo chamado Daniel López no final de maio deste ano e mostra a Lua com um tamanho colossal — em uma vista esplêndida que todo mundo gostaria de ter um dia. A sequência mostra o satélite “passando” pertinho do Monte Teide, um vulcão que existe nas Ilhas canárias, na Espanha, e inclusive é possível ver uma porção de pessoinhas minúsculas na cena. Assista:

Efeito especial?

Apesar de o belíssimo vídeo acima parecer mostrar algo criado por computador, o tamanho descomunal da Lua é resultado da forma como a imagem foi capturada. Aliás, de acordo com o pessoal do site Science Alert, as pessoas que podem ser vistas na sequência sequer estavam olhando para o satélite, mas sim assistindo ao nascer do sol da cratera do vulcão, e Daniel, o astrônomo, se encontrava a 16 quilômetros de distância dessa galera.

Lua descomunalOlhe isso! (Daniel López/APOD Videos )

Ademais, para o povo observando o alvorecer, a Lua não pareceria nada de especial, muito menos maior do que o habitual. Além disso, apesar de existir um fenômeno óptico envolvendo o nosso satélite conhecido como “Efeito de Ebbinghaus” — que explica a razão de termos a impressão de a Lua ser maior ou menor em determinados momentos —, não foi isso o que causou o que vemos no vídeo.

Lente telescópicaA "lentinha" usada por Daniel (Science Alert/APOD/Daniel López)

Na verdade, segundo a NASA — que compartilhou o vídeo também! —, o aumento do tamanho da Lua se deve ao equipamento que Daniel empregou para capturar as imagens: uma lente telescópica. Outra curiosidade interessante de se mencionar é que a rapidez com a qual vemos o satélite se movendo não é a velocidade dele, mas sim a da rotação da Terra. Mais um detalhe: o clipe não é um time-lapse, isto é, essa era a velocidade real com a qual a Lua estava “desaparecendo” atrás do vulcão conforme o vídeo foi gravado. Espetacular, né?

***

Você conhece a newsletter do Mega Curioso? Semanalmente, produzimos um conteúdo exclusivo para os amantes das maiores curiosidades e bizarrices deste mundão afora! Cadastre seu email e não perca mais essa forma de mantermos contato!

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.