Navio romano de 2 mil anos é encontrado na costa da Grécia

Navio romano de 2 mil anos é encontrado na costa da Grécia

Último Vídeo

Uma embarcação romana da época de Jesus Cristo foi descoberta neste mês por historiadores gregos. O navio romano foi encontrado ao longo da costa da cidade de Kefalonia, no oeste da Grécia, junto de uma carga de 6 mil ânforas, vasilhas utilizadas pelos romanos para transportar alimentos e bebidas nas embarcações.

Os destroços do navio naufragado foram descobertos através da utilização de sonares, que permitiram aos pesquisadores identificarem a embarcação de 33 metros e próxima ao porto de pesca de Fiskardo. Os historiadores gregos apontam que o navio data entre 1 a.C. e 1 d.C.

Novas descobertas sobre o passado romano

(Fonte: Ionian Aquarium)

A descoberta dos destroços de um grande navio romano perto da região do atual porto de Fiskardo pode ser de grande utilidade para que os pesquisadores compreendam mais sobre as rotas utilizadas pelos antigos povos romanos no comércio de mercadorias. Recentemente, casas antigas, um teatro, um complexo de banheiros e um cemitério com túmulos datando o período romano entre 146 a.C. e 330 d.C. foram encontrados na região.

Segundo os estudos publicados pelos pesquisadores no Jornal de Ciência Arqueológica, Fiskardo deveria ser um importante porto na época, localizado ao longo da rota utilizada pelos romanos para o comércio de mercadorias pelo Mediterrâneo. Além disso, as diversas ânforas bem preservadas encontradas junto aos destroços indicam que as embarcações carregavam bens como vinho, cereais e óleos para serem comercializados antes de atingirem a destinação final em Roma.

Aprofundamento dos estudos

(Fonte: Ionian Aquarium)

A embarcação naufragada em Fiskardo é uma das quatro maiores já encontradas no Mar Mediterrâneo e a maior já encontrada no leste europeu. De acordo com o líder das pesquisas, George Ferentinos, da Universidade de Patras, metade do navio se encontra sedimentado. Por isso, o grupo de pesquisadores está esperançoso de encontrar partes da casca de madeira da embarcação em futuras escavações.

Porém, a equipe ainda não sabe se os destroços serão erguidos do fundo do mar. A utilização dos sonares deve apontar a vulnerabilidade do material para a ação humana, assim como levantar informações sobre possíveis causas para o navio ter afundado.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.