6 tradições fascinantes de solstício de inverno ao redor do mundo

Considerado o mês mais aguardado do ano para diversas culturas, dezembro reserva não apenas a porta de entrada para o ano seguinte, mas uma série de tradições que constituíram a história das sociedades ao longo do tempo. Entre elas, destaca-se o solstício de inverno, fenômeno astronômico que marca o surgimento da noite mais longa da estação e é amplamente celebrado com reuniões e festivais ligados a religiões de todo o globo.

Conheça abaixo alguns dos mais notáveis festejos de solstício que vão ocorrer na segunda metade de dezembro.

1. Dia de Santa Lúcia, Escandinávia

(Fonte: Pinterest / Reprodução)(Fonte: Pinterest/Reprodução)

Comemorado todo 13 de dezembro, o Dia de Santa Lúcia marca o início da temporada de Natal com uma procissão de mulheres jovens que utilizam túnicas brancas, faixas vermelhas e grinaldas de velas em suas cabeças, enquanto iluminam o caminho na escuridão do inverno. 

A tradição faz referências aos moldes de rituais pagãos, contando com a presença de uma grande fogueira, um enorme banquete para convidados em padrões de hierarquia e homenagens emocionantes à noite mais longa do ano.

2. Dongzhi, China

(Fonte: China Plus / Reprodução)(Fonte: China Plus/Reprodução)

Celebrado há milhares de anos, o Dongzhi acontece nos dias 21, 22 ou 23 de dezembro e é uma cerimónia que reúne famílias de toda a China para organizarem uma grande refeição, tendo como prato principal os bolinhos de arroz — chamados tang yuan.

O festival de solstício presta homenagem ao fim da temporada de colheita e resgata as raízes do yin e yang, visto que o momento se destaca pelo equilíbrio entre a chegada da luz solar e o fim do período de escuridão invernal.

3. Festival das Lanternas do Solstício de Inverno, Vancouver

(Fonte: Narcity / Reprodução)(Fonte: Narcity/Reprodução)

Criado pela Sociedade das Lanternas Secretas de Vancouver, no Canadá, o Festival das Lanternas do Solstício recria um cenário amplamente iluminado. Concentrado no tema “fogo”, os participantes devem fabricar suas próprias lanternas com velas e aguardar o momento de lançá-las ao ar.

Além da experiência, o evento se destaca pelo alto teor espiritual, realizando procissões pela cidade e enviando pessoas para participar do Labirinto de Luz. O trecho conta com 600 velas posicionadas de forma a fazer com que o visitante reflita sobre as condições de sua alma e determinar projeções para o ano seguinte.

4. Reunião de Newgrange, Irlanda

(Fonte: Science / Reprodução)(Fonte: Science/Reprodução)

O alinhamento entre a tumba da passagem de Newgrange, na Irlanda, é datada em 5 mil anos, e o templo antigo cria uma pequena abertura no local onde a luz se espalha em larga escala, gradualmente se estendendo pela câmara enquanto cerca de 17 minutos passam. Apesar de existirem poucas evidências sobre a origem das construções, os irlandeses estimam que o fenômeno atípico marca o início de um novo ano e o triunfo da luz sobre as trevas.

5. Dongji, Coreia do Sul

(Fonte: Korea.net / Reprodução)(Fonte: Korea.net/Reprodução)

Como o vermelho é considerado cor da sorte na Coreia do Sul, diversas pessoas celebram o solstício — conhecido, na região, como Dongji — se reunindo para comer um mingau de feijão-vermelho chamado patjuk.

A data, que visa afastar os maus espíritos e atrair boas sensações para o ano seguinte, também conta com a distribuição de calendários temáticos e meias, enquanto esperam a chegada dos meses de verão com colheita abundante.

6. Shab-e Yalda, Irã

(Fonte: Pinterest / Reprodução)(Fonte: Pinterest/Reprodução)

Antigo festival persa, o Shab-e Yalda —  que significa “nascimento” para os iranianos — celebra o fim dos dias mais curtos e a vitória da luz sobre as trevas. O solstício é marcado por reuniões familiares, velas e fogueiras acesas por toda a noite, leituras de poesia e um banquete repleto de nozes e frutas, cardápio que pede a proteção dos consumidores e o distanciamento de qualquer tipo de doença que possa acometê-los.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.