Seja o primeiro a compartilhar

Cable Street: o confronto popular que parou o fascismo em Londres

Se já chegou na quinta temporada da famosa série da BBC, Peaky Blinders, então provavelmente é familiar com o nome Oswald Mosley. O político foi uma das estrelas polêmicas do Reino Unido durante as movimentações anteriores à Segunda Guerra Mundial por fundar o próprio partido, conhecido como Partido Novo, focado na extrema-direita.

Após uma carreira militar falida, Mosley ingressou na política e ganhou a primeira eleição para deputado pelo Partido Conservador ainda em seus 21 anos, servindo na Câmara dos Comuns de 1918 até 1931, quando perdeu seu assento por fundar o Partido Novo, que teve o nome alterado para União Britânica de Fascistas (BUF) no ano seguinte, após ele voltar de uma viagem da Itália, onde se apaixonou pelo regime fascista de Benito Mussolini.

Ele advogou publicamente contra a participação da Inglaterra no lado considerado por ele "errado" da futura guerra, ou seja, a coalização dos Aliados. Indo mais além, em 3 de outubro de 1936, quase às portas da planejada invasão nazista de Adolf Hitler à Polônia, ele liderou a caótica e determinante Batalha de Cable Street, no East End de Londres.

A marcha pró-morte

Oswald Mosley. (Fonte: The Mirror/Reprodução)Oswald Mosley. (Fonte: The Mirror/Reprodução)

Quando Mussolini deu início ao seu Partido Fascista na Itália, em meados de 1919, foi uma questão de tempo para que o movimento extremista se espalhasse pela Europa em efeito dominó, impregnando vários aspectos políticos da década com sua ideologia, se tornando o principal responsável pelo início da guerra.

À medida que o fascismo foi avançando, membros dos partidos comunistas ou movimentos de esquerda começaram a revidar, na tentativa de impedir que a ideologia se instaurasse. Quando essa realidade alcançou Londres, em muito motivada pelo ativismo de Mosley, o distrito do East End, onde se concentrava a maior população de judeus e outros refugiados, foi alvo do antissemitismo pregado pelo político e seus 15 mil Blackshirts, uma espécie de grupo paramilitar.

Os episódios de violência contra as minorias culminaram em resposta da oposição, incluindo sindicalistas locais, comunistas, anarquistas e grupos socialistas; causando uma série de brigas de rua, como a que aconteceu em Cable Street.

(Fonte: Facing History/Reprodução)(Fonte: Facing History/Reprodução)

Esta começou com uma marcha anunciada por Mosley no coração do East End, onde havia máxima concentração de judeus – apesar de uma petição apresentada pelo Conselho do Povo Judeu para impedir o ato, mostrando que a intenção dele era causar algum problema. Isso ficou ainda mais claro com a distribuição de panfletos antissemitas pelos Blackshirts por todo o centro de Londres, convidando os interessados a participarem.

O Partido Comunista e demais grupos se organizaram para bloquear a atividade fascista, mas com o apoio da Polícia Metropolitana e da mídia, os Blackshirts conseguiram abrir caminho em Whitechapel – mas não por muito tempo.

Coibindo o inimigo

(Fonte: Arcola Theatre/Reprodução)(Fonte: Arcola Theatre/Reprodução)

A oposição fechou o caminho com vários carros estacionados, então Mosley desviou seus discípulos para a Cable Street, uma rua paralela a principal, mas sem sucesso, porque os antifascistas e moradores os surpreenderam com uma rua repleta de vidro, mármore e bloqueios.

O resultado foi uma chuva de frutas podres arremessadas pelas janelas, baldes de água fervente, fezes e outros tipos de objetos; causando a revolta dos marchadores. Ou seja, não demorou muito para que estes partissem para o confronto físico contra os opositores.

Ironicamente ou não, apenas 6 Blackshirts foram presos naquele dia, em contraste com os 79 membros e aliados de esquerda. A resistência da Cable Street se espalhou por toda a Londres, que reuniu tantos esforços que fez Mosley recuar com sua trupe.

No ano seguinte, foi aprovada a Lei de Ordem Pública, proibindo que pessoas usassem uniformes políticos em público, resultado direto do que aconteceu na Cable Street.

(Fonte: Time/Reprodução)(Fonte: Time/Reprodução)

Os Blackshirts até cometeram episódios de violência nos anos seguintes, porém a percepção negativa do público sobre sua conduta já havia se instaurado, piorando com a eclosão da guerra. 

Mosley, seus discípulos e outros líderes e apoiadores do movimento fascista, terminaram na prisão em 1940. Ele só foi liberado 3 anos mais tarde e, politicamente desonrado, se mudou para França em 1951, onde faleceu em 3 de dezembro de 1980, em Orsay.

O que aconteceu naquele dia na Cable Street foi fundamental tanto para podar as raízes do fascismo em Londres, quanto para unir esforços para combater a propagação do movimento pela Europa.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.