Cleópatra: descoberta pode apontar paradeiro da tumba da rainha

Cleópatra: descoberta pode apontar paradeiro da tumba da rainha

Último Vídeo

Equipes de busca lideradas pela Dra. Kathleen Martínez, líder do projeto de escavações no templo de Taposiris Magna, no Egito, confirmaram que novas pistas envolvendo a incessante busca pelo túmulo da lendária rainha Cleópatra foram encontradas. Caracterizada como "sensacional" pela autora da iniciativa, a descoberta configura um dos eventos mais importantes para o time de exploradores, que desde 2005 cerca o local para identificar registros mais concretos.

Em situação de decomposição bastante avançada, especialmente devido a inúmeras infiltrações das águas do Nilo, uma câmara funerária com dois corpos mumificados foi encontrada no templo, datada de mais de 2 mil anos. Porém, mesmo com o desgaste, materiais relevantes enfeitando as ossadas sugerem uma importante ligação com a aristocracia da época, apontando para uma proximidade, inclusive, com a própria Cleópatra.

“Apesar de agora estarem cobertas de pó por permanecerem no subsolo há 2 mil anos, na época essas múmias seriam espetaculares", comentou o Dr. Glenn Godenho, professor de egiptologia da Universidade de Liverpool. "O fato de estarem cobertas de folhas de ouro mostra que foram membros importantes da sociedade”.

(Fonte: Arrow Media/Reprodução)(Fonte: Arrow Media/Reprodução)

A confirmação da presença de ouro e adornos relativos à alta elite egípcia foi realizada após a utilização de técnicas de radiografia, identificando que os corpos se tratavam de um masculino e outro feminino. Na antiga sociedade local, o privilégio de ser enterrado com enfeites luxuosos era reservado apenas para membros ligados aos grupos mais ricos e com maior potencial econômico.

Além disso, em um dos achados foi encontrada uma referência ao sacerdócio egípcio, onde uma das mãos dos corpos continha uma marcação com o símbolo de escaravelho pintado a ouro, sugerindo que possuiria uma relação com a posição de poder supremo do Egito: o Faraó.

Esforços conjuntos de um longo trabalho

Desde 2005, grupos de escavadores concentram seus trabalhos para identificar registros concretos sobre o local de enterro da Cleópatra. A crença até então era que, a rainha, morta em 30 a.C., havia sido sepultada em Alexandria, cidade dizimada por uma tsunami em 365 a.C. e onde havia governado durante a era Ptolomaica do Egito Antigo.

(Fonte: Paul Olding/Reprodução)(Fonte: Paul Olding/Reprodução)

Porém, os mais de 14 anos de buscas no templo de Taposiris Magna, localizada a 50 quilômetros das ruínas alexandríacas, sugerem que, de fato, a rainha possa estar nas proximidades. Além da descoberta dos corpos mumificados, um altar com cerca de 200 moedas de ouro com o nome e a face de Cleópatra também foi encontrado.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.