Ameba comedora de cérebro mata garoto de 6 anos em cidade do Texas

Ameba comedora de cérebro mata garoto de 6 anos em cidade do Texas

Último Vídeo

Um garoto de seis anos morreu no início de setembro no Texas Children’s Hospital em Houston (EUA), vítima de infecção causada por um microrganismo. No domingo (27), o governo do Texas emitiu um alerta de desastre para o condado de Brazoria, onde a criança morava, pois o agente infeccioso foi identificado como Naegleia fowleri, a ameba “comedora de cérebro”.

Segundo a NBC News, o menino Josiah McIntyre morava em Brazoria, uma comunidade suburbana da cidade de Lake Jackson, cerca de 90 quilômetros ao sul de Houston. Maria Castillo, a mãe da criança, informou que seu filho faleceu no dia 8 de setembro e que os médicos do hospital infantil em Houston relataram a ameba “comedora de cérebro” como possível causa da morte.

Texas Commission on Environmental Equality/Reprodução
Investigadores colheram amostras de água de Lake Jackson. (Texas Commission on Environmental Equality/Reprodução)

A ameba “comedora de cérebro”

A Naegleria fowleri é encontrada naturalmente em água doce quente, como a de lagos e rios durante as estações com temperaturas mais elevadas. As pessoas geralmente se infectam após nadar ou mergulhar em cursos de água contaminados, segundo os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC).

Autoridades do CDC explicam que as infecções são raras, pois a forma de contato não ocorre ao engolir a água contaminada, mas sim quando ela sobe pelo nariz. A família de Josiah acredita que ele pode ter sido exposto à Naegleria fowleri através da mangueira de sua casa ou em uma fonte de água natural da cidade, onde as crianças costumam se divertir na primavera e no verão.

Segundo o The New York Times, as autoridades municipais testaram 11 amostras do abastecimento de água de Lake Jackson e descobriram que 3 eram “preliminarmente positivas” — incluindo um hidrante desativado, a fonte que funcionava como um “chuveirão” para as crianças e a mangueira de água da casa de Josiah. 

Fonte: Jenna Kieser/The Facts/Reprodução)
Moradores da cidade estocam água. (Fonte: Jenna Kieser/The Facts/Reprodução)

Declaração de desastre

No domingo passado (27), o governador do Texas, Greg Abbott, emitiu uma declaração de desastre para a comunidade de Brazoria, onde fica o Lake Jackson, por causa da contaminação no abastecimento de água pela Naegleria fowleri. No comunicado, o governador afirmou que o microrganismo representa “uma ameaça iminente à saúde e à segurança públicas, incluindo a perda de vidas”.

Em Brazoria, as autoridades locais colocaram cartazes com alertas de “não use” em toda a extensão do Lake Jackson. Também foram colocados “alertas de fervura”, aconselhando os residentes a ferver a água antes de cozinhar ou bebê-la, além de outras providências para desinfecção do sistema de fornecimento de água. 

Até que esse processo de lavagem e desinfecção seja concluído, a Comissão de Qualidade Ambiental do Texas (TCEQ, na sigla em inglês) aconselhou os moradores a evitar qualquer tipo de atividade que possa resultar na inalação de água, como durante banhos de chuveiro ou de imersão e até mesmo brincar com mangueiras ou sprinklers.

(Fonte: Josiah McIntyre/Facebook)
O menino Josiah. (Fonte: Josiah McIntyre/Facebook)

Vítimas da ameba

Apesar de as infecções por Naegleria fowleri serem raras, elas são quase sempre fatais. O número anual de ocorrências varia de 0 a 8, conforme os dados do CDC. A maioria dos casos documentados nos Estados Unidos vitimou crianças e adolescentes.

A ameba comedora de cérebro é um organismo que “gosta” de calor e é comumente encontrada em solos, lagos quentes, rios e fontes termais. Também pode estar presente em piscinas malconservadas ou sem cloro e em descargas de água quente em parques industriais.

As infecções pela ameba podem estar se tornando mais comuns à medida que a temperatura da água tem aumentado devido às mudanças climáticas. Além do caso de Josiah, pelo menos duas outras ocorrências fatais envolvendo a Naegleria fowleri foram relatadas neste ano. Um deles, um adolescente de 13 anos, foi infectado após nadar em um lago da Flórida.

De acordo com o CDC, 145 pessoas foram infectadas com a  Naegleria fowleri de 1962 a 2018, apenas 4 sobreviveram. 

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.