Quais os tipos de memória usados pelo cérebro?

O cérebro humano talvez seja de longe o órgão mais complexo que nós temos, responsável por conduzir todos os nossos sentidos e por processar diversas formas do nosso raciocínio. Além disso, é ele que também quem cuida das nossas memórias e armazena as informações que coletamos no cotidiano. 

Mas você sabia que existe mais de um tipo de memória que utilizamos? De acordo com a neurociência, são diversas as fontes de armazenamento de dados em nossa mente, que ocorrem em mais de uma parte do cérebro. Por isso, nesse texto abordaremos um pouco mais sobre cada uma delas.

Memória de curto prazo

(Fonte: Unsplash)(Fonte: Unsplash)

A memória de curto prazo é o tipo de memória que retém informações por curtos períodos, por uma pequena parte de tempo até que nosso cérebro defina se essas informações serão esquecidas ou guardadas. Esse procedimento pode ser dividido em dois seguimentos mais específicos: a memória imediata e a memória de trabalho.

A primeira delas se refere ao tipo de dado que é retido tão logo o recebemos. Por exemplo, quando conhecemos uma pessoa nova, a tendência é que tentemos memorizar seu nome. Muito provavelmente, essa informação só será retida se ela voltar a se repetir mais vezes no futuro.

A memória de trabalho, por outro lado, é um pouco mais complexa. Esse processo é um sistema de multicomponentes com capacidade limitada usado para o processamento da informação durante a realização de tarefas diversas. Se tentamos fazer um cálculo mental, utilizamos a memória de trabalho para armazenar os resultados parciais.

Memória de longo prazo

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

No caso das memórias de longo prazo, o cérebro retém as nossas recordações sobre episódios, fatos e aprendizados da vida. Para esse tipo de memória, podemos dividi-la entre declarativa, não-declarativa, semântica ou episódica. Cada uma delas com suas particularidades e processos específicos.

As memórias declarativas são todas aquelas que conseguimos contar com o passar dos anos e que estão ligadas a fatos corriqueiros. Esse tipo de memória costuma sofrer com o envelhecimento e podem ser esquecidas por conta de doenças como o Mal de Alzheimer. Em comparação, as não-declarativas são aquelas que não podem ser explicadas oralmente, como aprender um novo idioma, a dirigir ou andar de bicicleta.

As memórias semânticas são uma referência aos conhecimentos que nos situam no mundo, como as informações sobre quem descobriu o Brasil ou outros acontecimentos históricos importantes. Por fim, a memória episódica é o último tipo de memória listado pela neurociência e envolve todos os acontecimentos da vida de uma pessoa. Quando lembramos de formaturas, datas de casamento ou nascimento de alguém importante, estamos consequentemente fazendo uso desse tipo de memória autobiográfica.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.