Seja o primeiro a compartilhar

Neandertais: fósseis desafiam teorias sobre seu desaparecimento

Publicada na revista científica Science Advances, a descoberta de fósseis em uma caverna no sul da França pode modificar o que pensávamos ter levado ao extermínio dos neandertais. A ideia mais aceita atualmente afirma que os humanos modernos teriam exterminado os neandertais após sua chegada à África, há cerca de 40 mil anos. Contudo, os dentes e as ferramentas de pedra de uma criança descoberta sugerem que o Homo sapiens estava na Europa Ocidental há aproximadamente 54 mil anos.

Neandertais e humanos modernos podem ter coexistido por milhares de anos

(Fonte: Do Nano ao Macro)(Fonte: Do Nano ao Macro)

A teoria atual que consta em nossos livros de história sugere que os neandertais surgiram na Europa há 400 mil anos e teriam sido extintos há pouco mais de 40 mil anos, datação que coincidiria com a chegada do Homo sapiens ao continente africano.

Entretanto, a descoberta da equipe do professor Ludovic Slimak, da Universidade de Toulouse, aponta que o sapiens chegou cerca de 12 mil anos antes da data atualmente aceita. Na prática, isso significaria que as 2 espécies teriam coexistido na Europa por mais de 10 mil anos antes que os neandertais fossem extintos.

As evidências encontradas sugerem que o grupo de humanos a quem pertenciam os fósseis viveu no sítio por pouco tempo, cerca de 2 mil anos, desocupando o local depois disso. Com a saída deles, os neandertais teriam retornado, ocupando a região por mais alguns milhares de anos, até o retorno dos humanos modernos.

Superioridade do humano moderno foi fruto de organização social

(Fonte: Greelane)(Fonte: Greelane)

Com as novas evidências encontradas, uma pergunta que se levanta é: como nós, humanos modernos, teríamos conquistado superioridade sobre os neandertais se coexistimos por milhares de anos?

Entre as diferentes hipóteses apresentadas estão a capacidade de produzirmos arte, linguagem e ter um cérebro, possivelmente, melhor. Porém, a que tem sido mais aceita é a de que estávamos mais organizados do que eles. Nossos grupos sociais seriam maiores, armazenaríamos melhor o conhecimento e desenvolveríamos coisas a partir desse conhecimento.

Esse cenário ajuda a compreender outra descoberta, feita em 2010. Nesse ano, cientistas descobriram que os humanos modernos têm uma pequena quantidade de DNA neandertal. Seria um indicativo de que as espécies teriam cruzado. O que não se sabe é se essas trocas foram pacíficas, se houve sequestro de fêmeas de um grupo por outro ou se os humanos modernos adotaram bebês neandertais abandonados ou órfãos.

Fósseis sugerem que houve equilíbrio entre neandertais e humanos modernos

(Fonte: Heil Praxis)(Fonte: Heil Praxis)

Para Chris Stringer, do Museu de História Natural de Londres, as novas descobertas indicam que nossa espécie surgiu muito antes e levantam questionamentos sobre o que consideramos como "vitória dos humanos modernos sobre os neandertais".

"Às vezes os neandertais estavam em vantagem; outras, os humanos modernos. Então, houve certamente um equilíbrio", disse Stringer em entrevista à BBC News. "Não foi uma vitória do dia para a noite", ele afirmou.

Achados, ferramentas e dente de criança foram surpresas para toda a equipe. As ferramentas, de modo particular, são importantes, pois são feitas da mesma forma que outras encontradas em diferentes locais. Até então, os cientistas não tinham certeza de quais espécies seriam responsáveis por elas.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.