Fique ligado: confira 7 formas de reduzir o risco de desenvolver câncer
35
Compartilhamentos

Fique ligado: confira 7 formas de reduzir o risco de desenvolver câncer

Equipe MegaCurioso
Último Vídeo

O câncer é uma daquelas doenças que estão no topo das listas das mais temidas de todo mundo, uma vez que, em boa parte dos casos, ela avança de forma silenciosa e tem consequências devastadoras.

Entretanto, conforme explicamos em uma matéria anterior aqui do Mega Curioso, estima-se que apenas entre 5% e 10% dos cânceres sejam provocados por motivos genéticos, o que significa que, em sua grande maioria, eles surgem por influência de fatores como a alimentação, nosso estilo de vida e exposição a agentes externos.

Portanto, isso também significa que existem algumas atitudes que podem ajudar a reduzir o risco de desenvolver a doença. Confira a seguir algumas dicas do pessoal da Universidade de Berkeley, nos EUA:

1 – Fique de olho na balança

Estudos apontaram que a obesidade está associada com quadros de inflamação crônica no organismo, o que, por sua vez, pode contribuir para aumentar o risco de surgimento de diversos tipos de câncer, como o de fígado, de cólon e esôfago, assim como da leucemia, do linfoma não-Hodgkin e do mieloma múltiplo.

(Pixabay/Tero Vesalainen)

Além disso, nas mulheres especificamente, após elas passarem pela menopausa, existe um perigo maior de que as obesas desenvolvam câncer de mama e de útero. Nesse caso, o surgimento desses cânceres está associado ao fato de que as células de gordura provocam um aumento nos níveis de hormônios no sangue que, por sua vez, podem desencadear o aparecimento de determinados tipos da doença.

2 – Siga uma dieta equilibrada

(Pixabay/Jill Wellington)

Assim como os produtos processados e ricos em açúcar têm o poder de aumentar o risco de desenvolvimento de câncer, existem alimentos que podem prevenir o seu surgimento. Para isso, opte por uma dieta rica em verduras, frutas e leguminosas e dê preferência a itens integrais no lugar dos refinados. Além disso, limite o consumo de carnes vermelhas e de porco, especialmente as processadas, e evite a ingestão de comidas salgados ou em conserva.

3 – Reduza os churrascos

A não ser que você seja vegetariano, existe uma grande probabilidade de que você seja fã de um belo churrasquinho. No entanto, quando assamos carnes — sejam elas vermelhas, de porco ou aves — sobre carvão em brasa, as altas temperaturas promovem a formação de hidrocarbonetos aromáticos policíclicos e de amino-heterocíclicos, compostos que estão associados ao aumento no risco de surgimento de alguns tipos de câncer, como o de pâncreas, de cólon e de próstata.

(Pixabay/Holger Langmaier)

Aliás, estudos apontaram que qualquer modo de preparo de carne que envolva expor as peças a altas temperaturas — o que inclui as frituras — pode levar à liberação desses compostos cancerígenos. Como lidar, então? Uma solução seria deixar para comer churrascos só de vez em quando ou, alternativamente, cozinhar as carnes previamente no micro-ondas e, depois, virar as peças com bastante frequência na churrasqueira para ajudar a reduzir a formação dos hidrocarbonetos e dos amino-heterocíclicos.

4 – Beba menos

Vários estudos apontaram que o consumo de bebidas alcóolicas pode aumentar o risco de diversos tipos de câncer, como o de fígado, de cólon e de mama, assim como os de garganta, esôfago e laringe, por exemplo. E o ruim é que quanto maior for a ingestão, maior é o perigo de que essas doenças surjam.  

(Pixabay/Pexels)

Para evitar o risco, os cientistas aconselham que o consumo seja evitado ou feito com moderação. A recomendação é que a ingestão de bebidas alcoólicas para as mulheres fique limitada a uma dose diária, enquanto que os homens podem tomar até duas doses — ou menos, se a pessoa tiver mais de 65 anos de idade.

5 – Não fume

Apesar de essa ser uma recomendação que todo mundo está careca de conhecer, nunca é demais dar aquela reforçada! O tabagismo está relacionado ao surgimento de diversos tipos de câncer, entre eles o de pulmão, garganta, laringe, esôfago, bexiga, estômago, pâncreas e rim.

(Pixabay/Semevent)

Mas não é só o cigarro que aumenta o risco de desenvolvimento dessas doenças! O uso do tabaco de modo geral, seja através de charutos, cachimbos e até o mastigável pode ser prejudicial. Sem falar que os fumantes passivos também podem sofrer as consequências do hábito dos outros.

6 – Tome cuidado com o sol

Embora a exposição moderada ao sol seja necessária para o bom funcionamento do organismo, a radiação ultravioleta pode ocasionar o surgimento de alguns tipos de câncer de pele — e, como você deve saber, existem variedades da doença que são pra lá de agressivas e inclusive letais.

(Pixabay/zooka985)

A maioria das lesões diagnosticadas consiste em carcinomas basocelulares, que são cânceres pouco agressivos e que raramente se espalham para outras partes do corpo. Também existem os carcinomas epidermoides, que são bem mais agressivos do que os basocelulares e podem se alastrar para outros órgãos, como os pulmões, as mucosas da boca e o colo do útero, e os melanomas, que são os tipos mais perigosos de câncer de pele.

Você já deve saber o que fazer para reduzir o risco de desenvolver essas doenças, não é mesmo? Use protetor solar diariamente e siga as recomendações do fabricante com relação à correta reaplicação do produto para garantir sua eficácia.

7 – Mexa o corpo

(Pixabay/StockSnap)

Além de a prática de atividade física ajudar a prevenir a obesidade — fator que, conforme já explicamos, pode contribuir para o surgimento da doença —, ela também ajuda a diminuir o risco de desenvolvimento de vários cânceres. Isso ocorre porque os exercícios ajudam a melhorar o funcionamento do sistema imunológico, a resistência à insulina, a manter os níveis hormonais sob controle e a regular os fatores de crescimento celular.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.