5 coisas que um teste de DNA pode dizer sobre sua saúde

Nos filmes, séries e novelas, a gente se acostumou a ver o teste de DNA como recurso para resolver mistérios sobre a paternidade de algum personagem, sempre com alguma reviravolta dramática envolvida — ou, então, como forma de gerar brigas em programas de auditório de qualidade questionável. 

Porém, os testes genéticos podem dizer muito mais sobre você do que sua paternidade ou até sua ancestralidade. Eles podem trazer informações essenciais sobre sua saúde, ajudando a prevenir várias doenças e tratar outras de forma muito mais assertiva. 

Isso porque, com o avanço das tecnologias, os especialistas conseguem analisar as amostras de material genético para encontrar características ou mutações associadas a alguma doença, ou condição — mesmo que ainda não esteja se manifestando de forma sintomática. Nesse sentido, você pode conferir 4 coisas que um teste de DNA diz sobre sua saúde, na lista a seguir.

1. Saber como a genética influencia em sua saúde

Você já deve ter reparado que muitas condições de saúde — que não necessariamente são doenças — são comuns em pessoas da mesma família. A dificuldade para perder ou ganhar peso é um dos exemplos mais comuns. 

Um teste de DNA pode analisar sua predisposição genética para essas condições de saúde, orientando conversas com os especialistas que lhe acompanham e mudanças no estilo de vida. Você pode descobrir que sua genética é a causa da sua dificuldade para ganhar massa magra na academia e mudar seus planos de treino, por exemplo.

Você pode descobrir que tem predisposição para perder ou ganhar peso e mudar sua rotina com essa informação (Imagem: Victor Freitas/Unsplash)Você pode descobrir que tem predisposição para perder ou ganhar peso e mudar sua rotina com essa informação (Imagem: Victor Freitas/Unsplash)

2. Realizar o diagnóstico correto de diversas doenças

Um dos maiores avanços que os testes de DNA trouxeram para a medicina foi na área de diagnósticos: é possível confirmar, de maneira muito mais rápida e assertiva, se um paciente possui determinada doença genética. 

Assim, também é possível começar logo o tratamento e melhorar o prognóstico dessa pessoa. Entre as dezenas de doenças que podem ser diagnosticadas a partir de testes de DNA, estão:

  • Hiperlipidemia, que é acúmulo de gordura anormal no sangue;
  • Fibrose cística, que afeta as células produtoras de secreções no organismo;
  • Anemia falciforme, que causa deficiência de glóbulos vermelhos;
  • Atrofia muscular espinhal (AME), doença degenerativa do sistema nervoso;
  • Rim policístico, que pode causar problemas como a insuficiência renal;
  • Vários tipos de cânceres, como os de mama;

Os testes de DNA podem ajudar no diagnóstico de várias doenças, como a anemia falciforme, que afeta o sangue (Imagem: Hush Naidoo/Unsplash)Os testes de DNA podem ajudar no diagnóstico de várias doenças, como a anemia falciforme, que afeta o sangue (Imagem: Hush Naidoo/Unsplash)

3. Quais tratamentos podem ser utilizados no paciente

Se a doença está ligada aos genes, o tratamento também pode estar. Nesse sentido, os testes de DNA podem ajudar a desenvolver abordagens terapêuticas específicas para cada paciente — o que tem se tornado comum para vários tipos de câncer, por exemplo.

A partir da análise do material genético do paciente e das mutações ligadas ao câncer, os especialistas conseguem desenvolver drogas que miram exatamente na doença, de modo que o tratamento se torna muito mais efetivo e tem menos efeitos colaterais. 

Um teste genético pode ajudar a descobrir ou desenvolver tratamentos para doenças como o câncer (Imagem: Thirdman/Pexels)Um teste genético pode ajudar a descobrir ou desenvolver tratamentos para doenças como o câncer (Imagem: Thirdman/Pexels)

4. Descobrir doenças que ainda nem se manifestaram

Algumas das condições de saúde que os testes de DNA ajudam a descobrir demoram a se manifestar. Mas, a partir das informações, você já pode atuar de forma a prevenir que os sintomas surjam ou mitigar seus riscos.

Um caso famoso, nesse sentido, é o da atriz Angelina Jolie, que retirou os seios após descobrir que tinha predisposição genética para o câncer de mama, mesmo sem nunca ter desenvolvido qualquer sintoma da doença. 

Outro exemplo mais simples é o das doenças cardíacas: se você descobrir que sua genética favorece o desenvolvimento delas, já pode fazer mudanças em seu estilo de vida para evitar que isso aconteça.

Sabendo que você tem predisposição genética para doenças cardíacas, pode mudar seus hábitos de saúde (Imagem: Pixabay)Sabendo que você tem predisposição genética para doenças cardíacas, pode mudar seus hábitos de saúde (Imagem: Pixabay)

5. Saber se você carrega determinado gene

Voltando às aulas de biologia do ensino médio, nós aprendemos que existem os genes dominantes e os recessivos. Os recessivos são aqueles que a gente carrega em nosso DNA e não se manifestam — mas podemos passar aos nossos descendentes, de modo que se manifestem neles. 

Se você carrega os genes recessivos para alguma condição e seu cônjuge também, há maiores chances de que seus filhos a manifestem. Nesse cenário, o teste de DNA pode ajudar casais em suas decisões ou na preparação para ter filhos.

É possível descobrir se você tem genes ou mutações que pode passar para seus filhos (Imagem: Freepik)É possível descobrir se você tem genes ou mutações que pode passar para seus filhos (Imagem: Freepik)

Para terminar, o mais interessante disso tudo é que os testes de DNA e análises de material genético estão ficando cada vez mais acessíveis para a população em geral, inclusive aqui no Brasil. Dessa maneira, por mais que as situações descritas até aqui pareçam saídas de filmes de ficção científica, elas já são realidade.

Descubra sua Ancestralidade com a Genera

O teste faz o mapeamento genético e te mostra suas ancestralidades. Você pode fazer o teste em casa, por saliva, e mandar para o laboratório analisar.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.