6 hábitos de higiene para durante e após o sexo

Talvez nunca tenhamos pensado tanto em higiene quanto nestes dois últimos anos de pandemia, em que palavras como “álcool gel” e “limpeza” se tornaram frequentes em nosso vocabulário. A maior parte de nós, inclusive, diminuiu o contato com outras pessoas ao máximo, no intuito de evitar o contágio pelo coronavírus. Mas quando a higiene envolve as relações sexuais, será que sabemos nos proteger — e proteger nossos parceiros?

Pode parecer estranho lavar as mãos antes e após fazer sexo, mas o cuidado faz sentido. Afinal, o contato físico (por exemplo, pelas mãos e pela boca) é capaz de transmitir vírus e bactérias. Por isso, a manutenção de hábitos de higiene, mesmo nesses momentos de intimidade, é essencial para evitar contrair e repassar não apenas doenças sexualmente transmissíveis (as chamadas DSTs), quanto outras doenças de todo tipo.

Abaixo, seis hábitos que todos devem adotar em prol de uma vida sexual saudável, em todos os sentidos.

1. Uso de preservativo

Embora pareça óbvio ressaltar isso, o uso de preservativos continua fundamental.Embora pareça óbvio ressaltar isso, o uso de preservativos continua fundamental.

A primeira dica é a mais óbvia de todas — ou, ao menos, deveria ser. Tenha como obrigação o uso de preservativos em todas as relações sexuais, independentemente de sua natureza. Isso quer dizer que eles devem ser usados não apenas no sexo com penetração (vaginal e anal), mas também no sexo oral.

Os preservativos femininos e masculinos devem ser indispensáveis nas relações heterossexuais e homossexuais, ocorridos em encontros casuais ou em relacionamentos de longa duração. Eles ajudam a evitar que se contraia tanto DSTs quanto ISTs (as infecções sexualmente transmissíveis).

2. Limpeza do pênis

Nem todos os homens mantêm uma boa higiene do pênis.Nem todos os homens mantêm uma boa higiene do pênis.

Para os homens, a dica é manter uma higiene caprichada em sua área íntima, especialmente no pênis. Essa dica também pode parecer redundante, mas não é, pois muitos homens não lavam adequadamente seu órgão sexual, o que pode favorecer a proliferação de fungos, vírus e bactérias. Só para se ter uma ideia, o Brasil é campeão mundial em casos de câncer no pênis.

E como então limpar o órgão? A recomendação é lavá-lo com água morna diariamente, com atenção especial à região embaixo do prepúcio, que costuma ser esquecida. Não há necessidade de uso de sabão, que pode irritar a área.

3. Higiene vaginal

A higiene da vagina não requer produtos especiais, que devem ser usados com moderação.A higiene da vagina não requer produtos especiais, que devem ser usados com moderação.

Já as mulheres precisam se atentar à higiene da vagina, com uma dica semelhante à dos homens: evitar excessos de produtos que podem irritar a região. Por isso, lenços umedecidos e sabão para a região íntima devem, se possível, ser evitados ou então usados com muita parcimônia apenas na parte externa da vagina. Isto porque o órgão possui secreções naturais que ajudam a protegê-lo. "Dependendo da pessoa, podem causar irritação e aumentar o risco de infecções. O que eu recomendo é lavar com água pelo menos uma vez ao dia”, afirma Thamara Martínez, sexóloga do Instituto Espill, na Espanha, em entrevista à BBC.

4. A importância da urina

Fazer xixi depois do sexo protege o trato urinário.Fazer xixi depois do sexo protege o trato urinário.

Independentemente do sexo, há hábitos que trazem benefícios para todos. Um deles é o de urinar antes e depois de ter uma relação sexual. Isso ajuda a evitar infecções do trato urinário, limpando a região genital e livrando-a de bactérias. Como as mulheres são mais propensas a este tipo de infecção, sugere-se urinar até 15 minutos depois de uma relação sexual com penetração.

5. Cuidado com as roupas

A escolha das roupas íntimas requer cuidado especial.A escolha das roupas íntimas requer cuidado especial.

Outra questão importante na manutenção da saúde dos órgãos sexuais é o uso de roupas que favoreçam a “respiração” da pele. Isso significa evitar roupas muito apertadas ou tecidos sintéticos, especialmente nas roupas íntimas. Prefira tecidos orgânicos, como algodão.

6. Médico sempre em dia

Mantenha suas consultas sempre em dia.Mantenha suas consultas sempre em dia.

Por fim, não custa lembrar: mesmo com todos esses cuidados, é crucial consultar médicos especializados (como ginecologistas e urologistas) pelo menos uma vez por ano, e não apenas quando ocorre algum problema. Eles realizarão exames de rotina que vão averiguar se está tudo OK com a sua saúde, mesmo sem qualquer sinal aparente de doenças. 

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.