Seja o primeiro a compartilhar

Será que os sons dos animais são iguais em todos os idiomas?

Os sons dos animais são onomatopeias, ou seja, palavras que representam sons e ruídos que ouvimos. Todos os gatos fazem “miau” na vida real, certo? Na verdade, não é bem assim. Mas calma, vou explicar! A forma como as línguas representam em palavras os sons dos animais pode nos ensinar muito sobre a pronúncia em diferentes idiomas – e sobre se os animais têm o mesmo som em todo o mundo!

Quando criamos palavras que imitam sons naturais, como "buzz", "boom", "crash" e "miau", elas são chamadas de onomatopeias, pois tentam imitar um som real do mundo: o som de uma abelha, uma forte explosão, o som de algo quebrando ou um gato pedindo por comida às 5 da manhã. A palavra onomatopeia vem do grego ?νοματοποι?α - um composto de ?νομα (ónoma, "nome") e ποι?ω (poiéo, "eu faço"). O termo foi cunhado pelo filósofo e cientista grego Aristóteles.

Colocando as definições em prática, presumimos que o som de um gato na Grécia é basicamente o mesmo de um gato das ruas do Brasil, certo? Então, por que nem todas as línguas representam esses miados da mesma maneira?

Cada língua utiliza o seu próprio conjunto de sons (humanos) nas suas palavras, e cada idioma também tem regras específicas sobre como combinar sons e onde eles podem ir nas palavras. Por exemplo, palavras em espanhol nunca começam com a combinação "sp" (elas precisam ter um "e" antes do "s"), e mesmo que falantes de inglês possam emitir um som "ng" no meio ou no final de uma palavra, nenhuma palavra em inglês começa com este som.

E uma das coisas interessante sobre isso é que a língua que você fala também molda os sons que você ouve e como imagina os animais soando quando fazem barulho. Portanto, a forma como uma língua representa o barulho que um porco faz pode nos dizer quais sons existem nessa língua e como eles formam palavras! Mas, isso não quer dizer que, de fato, os animais fazem barulhos diferentes ao redor do mundo, é apenas uma representação escrita.

Além do gato, podemos citar como outro exemplo em inglês o barulho que um porco faz (oink!), que contém uma combinação de sons que reflete que esta é uma combinação "aceitável" de sons em inglês, como na palavra óleo (que seria ''oil''). Mas nem todas as línguas têm essas duas vogais específicas e, mesmo que tenham, talvez não seja "permitido" combiná-las dessa forma! Em polonês, o barulho que um porco faz é chrum, onde o primeiro som fica entre um “k” e um “h” – um som que não existe em inglês!

Tudo isso pode até parecer muito abstrato e talvez até peculiar se pararmos para refletir, mas é apenas um dos "mistérios" da ciência da origem dos idiomas. Assim, podemos usar os sons dos animais como uma janela divertida e uma forma nova de pensar e aprender sobre como as línguas combinam sons – e também como todos nós pensamos em nossos amigos peludos!

Com colaboração de Mykhaylo Zakryzhevskyy e Alexander Mendes

***

Analigia Martins é colunista do Mega Curioso e diretora de Marketing no Brasil de Duolingo, a maior plataforma de aprendizado de idiomas do mundo e o aplicativo mais baixado na categoria de Educação no iTunes e na Google Play. Responsável por aumentar a notoriedade e o crescimento do Duolingo no Brasil, segundo maior mercado da empresa, a executiva tem 20 anos de experiência em marketing de serviços, especialmente na área de Educação no Brasil e nos Estados Unidos. Analigia é pós-graduada em Administração de Empresas pela Universidade Harvard e bacharel em Publicidade pela Fundação Cásper Líbero.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.