Seja o primeiro a compartilhar

5 pessoas famosas que sofrem de agorafobia

Nos últimos anos, muitos famosos começaram a falar abertamente sobre suas questões de saúde mental: as canções sobre depressão e transtorno bipolar de Lady Gaga e The Weeknd, os relatos sobre dependência química de Demi Lovato e dos brasileiros Fábio Assunção e Casagrande, relatos sobre transtornos alimentares de modelos... Falar sobre saúde mental na mídia é importante para que esses assuntos deixem de ser tabu e os fãs dos também se sintam a vontade para pedir ajuda.  

Nesse sentido, vários famosos já assumiram sofrer com a agorafobia. Trata-se de um transtorno psiquiátrico pouco conhecido, que pode ser resumido como uma fobia de locais públicos (agora, em grego). O ataque de pânico está relacionado com o medo de não conseguir escapar do lugar ou de não ter como pedir ajuda, caso algo aconteça.

Estar no transporte público, em filas (de banco ou supermercado) ou no meio de uma multidão (mesmo antes da pandemia) são situações que podem despertar pânico em quem tem agorafobia. Em muitos casos, a agorafobia está associada a outros males, como transtorno de ansiedade e síndrome do pânico. O tratamento envolve medicações psiquiátricas e, também, acompanhamento com psicoterapeutas.

A seguir, conheça cinco pessoas famosas que relataram sua luta contra a agorafobia.

1.  Barbra Streisand

Os mais jovens talvez a conheçam por causa daquela música eletrônica cuja letra consistia apenas em repetir o nome dela: Barbra Streisand. Porém, ela é uma lenda da música e atuação, sendo uma das poucas artistas que ganhou que ganhou todos os principais prêmios das artes: Oscar, Grammy, além do Tony (teatro) e Emmy (televisão). 

Streisand deixou de se apresentar publicamente por 27 anos por conta da agorafobia e do transtorno de ansiedade social. Os sintomas começaram a aparecer depois que ela esqueceu as letras de suas músicas em um show gratuito no Central Park (Nova York). 

Por ser perfeccionista, Streisand não se perdoou e a ansiedade começou a se acumular dentro dela. Ao longo dos anos, ela procurou psiquiatras e psicólogos para lidar com a doença, até conseguir retornar em uma turnê para públicos pequenos, em 1994. 

Fonte: Wikimedia CommonsFonte: Wikimedia Commons

2. Kim Basinger

Essa atriz foi um dos rostos mais conhecidos e desejados dos anos 1980, com sucessos como "Nove Semanas e Meia de Amor" e o "Batman" de Tim Burton, além de ganhar um Oscar por seu papel em "Los Angeles — Cidade Proibida", em 1997. Mesmo assim, por todo esse tempo, Kim Basinger sofreu muito com a agorafobia. 

Basinger já sofria com ansiedade severa desde sua juventude — seus pais chegaram a pensar que ela tivesse algum tipo de autismo. A agorafobia surgiu quando a atriz teve um ataque de pânico em uma loja. Nos seis meses seguintes, ela não saiu de casa. 

O medo de ter um ataque em local público é um dos principais sintomas da agorafobia e Basinger já falou abertamente sobre sua luta com o transtorno em entrevistas.

Fonte: O FuxicoFonte: O Fuxico

3. Earl Campbell

O jogador de futebol americano Earl Campbell se tornou um dos nomes mais lendários de seu esporte nos anos 1980, muito antes da NFL ter fãs aqui no Brasil. Um tempo depois de deixar os campos, Campbell começou a sentir sintomas físicos, como se estivesse à beira de um ataque cardíaco. Os médicos o examinaram, mas estava tudo bem. 

O jogador procurou ajuda e começou a investigar seu problema a fundo. Descobriu-se que ele sofria de síndrome do pânico. Uma matéria de 1991 do jornal LA Times conta que, certa vezes, o famoso atleta foi encontrado em seu carro, suando frio e tremendo de ansiedade. Semelhante ao caso de Kim Basinger, sair de casa era um gatilho para o medo de Campbell — um dos sintomas da agorafobia. 

Desde então, o jogador fala sobre o problema na mídia e busca conscientizar as pessoas a procurar ajuda. Ele chegou a publicar um livro sobre o assunto. 

Fonte: Tyler Morning Telegraph/ReproduçãoFonte: Tyler Morning Telegraph/Reprodução

4. Brian Wilson

Wilson fez história na música com os Beach Boys, lançando canções atemporais como "Surfin' USA" e "Good Vibrations". Mesmo assim, ainda nos anos 1960, no auge do sucesso da banda, Wilson começou a sofrer com sua saúde mental. 

Após um ataque de pânico, ele deixou de fazer turnês com os Beach Boys. Aos poucos, foi se tornando cada vez mais recluso e, no início dos anos 1970, Wilson praticamente não saía de casa, além de ter desenvolvido vícios em álcool e drogas. Wilson buscou ajuda, mas teve experiências ruins com profissionais até que, nos anos 1980, conseguiu começar sua jornada de cura, com a ajuda da segunda esposa, Melinda Ledbetter. 

Embora ainda seja bastante reservado, Brian Wilson voltou a trabalhar e se apresentar. Ele até conseguiu terminar o lendário disco "Smile", que deixou de lançar quando estava atormentado, nos anos 1960. A luta do músico com sua saúde mental e a sua conturbada relação com o terapeuta Eugene Landy é retratada no filme "Love & Mercy". 

Fonte: Wikimedia CommonsFonte: Wikimedia Commons

5. Macaulay Culkin

A vida conturbada do ator, lançado ao estrelato ainda na infância com o sucesso de "Esqueceram de Mim", foi retratada à exaustão pela mídia. O que muitos não sabem é que Macaulay Culkin sofre de agorafobia. 

Ele explicou, em entrevistas, que tinha medo de sair de casa e ter sua privacidade invadida por fotógrafos. Mas a partir do momento em que descobriu sua condição, o ator adotou um cachorro para se obrigar a levá-lo para passear. 

Fonte: Rolling Stone/ReproduçãoFonte: Rolling Stone/Reprodução

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.