Seja o primeiro a compartilhar

Quem foi Martinho Lutero, o líder da Reforma Protestante?

O nome de Martinho Lutero está para sempre gravado na história por conta de um feito: no século XVI, ele encabeçou um movimento de reformulação dos preceitos da Igreja Católica (a chamada Reforma Protestante) que acabou levando à criação de um novo ramo do cristianismo, ao qual se chamou de protestantismo.

Embora Lutero, que era um monge católico, não tivesse inicialmente a intenção de romper com a Igreja, foi isso o que aconteceu. Ao fundar a Igreja Luterana, ele começou a formar as bases de um movimento que se espalharia em toda a Europa, e seria o início das igrejas protestantes, existentes hoje no mundo inteiro. Neste texto, contamos quem foi Martinho Lutero e o que foi exatamente o que ele fez.

Um monge rebelde

(Fonte: Conhecimento Científico)(Fonte: Conhecimento Científico)

Martinho Lutero viveu entre os anos de 1483 a 1546. Ele foi um padre, monge e teólogo alemão, que tinha certas discordâncias com algumas tradições da igreja católica. Embora não tenha sido o primeiro religioso com opiniões contrárias aos preceitos eclesiásticos, Lutero tinha dois diferenciais: ele era extremamente carismático e já existia em seu tempo tinha a máquina impressora (que havia sido inventada por Gutenberg em 1450), o que fez com que suas ideias pudessem circular muito rapidamente pela Europa.

Membro da Igreja Católica Romana de Wittenberg, na Alemanha, ele começou a se indignar com algumas questões que via dentro da igreja. Uma delas era a venda de indulgências, que era o pagamento monetário pelo perdão espiritual que era feito diretamente aos religiosos. Quem não pudesse pagar, estava condenado a ir para o inferno.

Outra crença de Lutero é que os cristãos poderiam ser salvos pela sua própria fé, e não apenas pela execução de "boas obras" que agradariam a Deus. Ele ainda defendia que todo homem poderia ter acesso direto a Deus, na intimidade de sua oração, sem a necessidade da intermediação de um clérigo, como acreditavam os católicos. 

Por conta disso, um de seus feitos mais importantes foi a tradução da Bíblia para o alemão. Até o momento, a Bíblia só circulava em latim, o que excluía a maior parte da população alemã de sua leitura - ficando dependente, então, da leitura feita pelos padres e outras autoridades religiosas. Com a Bíblia em língua vernácula, qualquer um poderia lê-la.

A expulsão da Igreja

(Fonte: Aventuras na História)(Fonte: Aventuras na História)

Todas as ideias de Martinho Lutero foram sintetizadas em suas famosas 95 Teses, que ele escreveu em 1520 e mandou imprimir, o que fez com que se espalhassem rapidamente por toda a Europa. Nestas teses, ele discutia todas as políticas e práticas da Igreja Católica que considerava problemáticas.

Da mesma forma com que fez com a Bíblia, Lutero escreveu suas teses em latim e em alemão. Deste modo, ele se comunicava tanto com a elite eclesiástica quanto com o povo simples, que poderia ter acesso às suas ideias. Ao se espalharem e serem discutidas, as teses passam a fomentar o movimento da Reforma Protestante, que visava justamente reformar a igreja como ela existia até então.

Em janeiro de 1521, Lutero foi excomungado da Igreja pelo Papa Leão X excomungou Lutero. Considerado herege, ele acaba por fundar a Igreja Luterana. Mas o protestantismo iniciado por ele também estimula a fundação de outras igrejas e movimentos, como o calvinismo, anglicanismo, dentre várias outras. De alguma forma, todas as igrejas protestantes, como as evangélicas, descendem de Lutero.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.