Conheça a história por trás de 10 bandeiras nacionais
716
Compartilhamentos

Conheça a história por trás de 10 bandeiras nacionais

Último Vídeo

Você certamente sabe o que os elementos que compõem a bandeira do Brasil simbolizam, não é mesmo? Mas, e com relação às bandeiras de outros países, você conhece suas histórias e o que elas representam? Pensando nisso, o pessoal do site Just The Flight criou um infográfico — que você pode conferir através deste link — que conta um pouquinho sobre a origem de algumas delas, e nós do Mega Curioso selecionamos 10 para você conferir. Veja:

1 – Reino Unido

Composta pelas cores azul, vermelho e branco, a bandeira do Reino Unido — também conhecida como Union Jack — consiste em uma sobreposição criada pela cruz de São Jorge, pela de São Patrício e pela cruz de Santo André, que são os padroeiros da Inglaterra, da Irlanda e da Escócia, respectivamente. Veja:

Assim, a cruz vermelha sobre o fundo branco representa a cruz de São Jorge e, portanto, a Inglaterra. Já o “X” branco sobre fundo azul simboliza a cruz de Santo André da bandeira dos escoceses, e o “X” vermelho sobre fundo branco retrata a cruz de São Patrício da Irlanda.

E se você está se perguntando cadê o País de Gales nessa salada de cruzes, saiba que ele não está representado na bandeira porque o território ainda fazia parte do reino inglês quando a Union Jack foi criada. Só a título de curiosidade, o padroeiro dos galeses é São David, e sua bandeira consiste em uma cruz amarela sobre fundo preto — como a que você pode ver a seguir:

2 – Estados Unidos

Desde que a primeira versão da famosa bandeira dos Estados Unidos foi criada, em 1775, já ocorreram 28 edições para alterar o número de estrelas e listras que ela exibe. Confira na galeria a seguir algumas das versões que já existiram:

A criação do design é atribuída a uma mulher chamada Betsy Ross, e a versão atual — que se encontra em vigor desde 1960 — possui 50 estrelas, que representam os atuais estados norte-americanos, e 13 listras horizontais, que simbolizam as antigas colônias que declararam sua independência para formar a União.

Além disso, com relação às cores da bandeira, o azul simboliza a perseverança, vigilância e justiça, o branco, a inocência e a pureza, e o vermelho representa a coragem e a resistência do povo norte-americano.

3 – França

Também conhecida como “A Tricolor” — ou, ainda, bleu, blanc, rouge —, a atual bandeira da França representa a Revolução Francesa e entrou e saiu de vigor até que foi finalmente adotada, em 1830. Na verdade, a primeira versão, a que veio para substituir a bandeira que foi empregada do século 14 ao 17 pelos franceses, tinha as cores invertidas em relação à atual.

Além disso, como a sua aceitação foi muito ruim no início — já que a bandeira remetia à revolução e ao império —, ela acabou sendo substituída por uma branca até que a Revolução de 1830 eclodiu no país. Veja a seguir as principais bandeiras históricas da França:

Voltando à bandeira atual, as cores das três faixas, o azul, o branco e o vermelho, simbolizam o poder legislativo, o executivo e o povo, respectivamente, e a mesma espessura das faixas indica a divisão igualitária do poder. As tonalidades também representam o lema francês, ou seja, a Liberdade, a Igualdade e a Fraternidade. Mas o simbolismo não para por aí!

A cor branca ainda representa o Rei — e também a tradicional cor da Casa Bourbon, que regeu a França até a Revolução Francesa. O vermelho e o azul, por sua vez, simbolizam a cidade de Paris, já que os revolucionários que tomaram a Bastilha em 1789 usavam essas cores.

4 – Alemanha

Em 1840, o preto, o vermelho e o dourado — representado pelo amarelo — foram decretados pelo Parlamento de Frankfurt como as cores oficiais da Alemanha, que desejava transmitir a ideia de um estado germânico democrático e unido.

Bandeira usada pela Alemanha Oridental até a queda do Muro de Berlim

Assim, a bandeira atual foi criada no século 19 e passou por poucas modificações ao longo dos anos. Depois da Segunda Guerra Mundial, ela era usada tanto pela Alemanha Oriental como pela Ocidental, mas em 1959 o lado socialista incluiu símbolos socialistas em sua bandeira. O desenho atual — livre de ícones — só voltou a ser usado para representar o país após a reunificação da Alemanha, o que ocorreu com a queda do Muro de Berlim, em 1990.

5 – Áustria

A bandeira da Áustria é uma das mais antigas do mundo, e dizem que ela foi originalmente criada pelo marquês Leopoldo III — que é o santo padroeiro do país — em 1230. Segundo reza a lenda, na ocasião, o nobre teria retornado de uma terrível batalha e as vestimentas brancas que ele usava por baixo da armadura estariam completamente cobertas de sangue.

No entanto, ao retirar o cinto que usava, “Leo” percebeu que havia uma faixa em sua roupa que continuava branca. Independente de que a história seja verdadeira ou não, a lenda é simpática, você não acha?

6 – Dinamarca

Se a bandeira da Áustria é antiga, a da Dinamarca é mais ainda. Criada em 1219, ela não teria sido elaborada pelos povos que habitavam o país, mas sim caído dos céus durante uma batalha. Sendo assim, sua cruz branca sobre o fundo vermelho representa o cristianismo.

Os historiadores, no entanto, têm uma explicação mais “pé no chão” sobre o surgimento da bandeira: acreditam que ela foi originada a partir dos antigos estandartes usados durante as cruzadas. De qualquer forma, todos concordam que o desenho da bandeira dinamarquesa influenciou outros países nórdicos — como Noruega, Finlândia, Islândia e Suécia — a adotarem designs semelhantes.

7 – Canadá

A tradicional bandeira canadense, composta por uma folha de bordo no interior de um quadrado branco ladeado por duas faixas vermelhas, só foi criada em 1965, por ocasião da celebração do primeiro centenário do Canadá, que ocorreria dois anos depois.

A folha vermelha com 11 pontas representa as matas repletas de árvores de bordo do país, e as duas faixas vermelhas que se encontram nas laterais da bandeira retratam os oceanos Pacífico e Atlântico. Já o quadrado branco no centro simboliza o Canadá.

8 – Austrália

Os elementos presentes na bandeira australiana mostram a forte conexão que o país ainda tem com a Commonwealth. Na metade esquerda, ela traz a bandeira do Reino Unido no canto superior, representando a colonização britânica no país e, logo abaixo, a grande estrela de sete pontas que simbolizam os estados e territórios da Austrália, bem como a Commonwealth.

A outra metade conta com um conjunto de estrelas que representam o Cruzeiro do Sul, uma constelação que também é bastante visível por lá. Aliás, a bandeira da Austrália é superparecida com a da Nova Zelândia, como você verá a seguir.

9 – Nova Zelândia

Assim como a bandeira da Austrália, a da Nova Zelândia mostra sua forte ligação com a Commonwealth e difere bem pouco da adotada pelos australianos. Ela também traz a bandeira do Reino Unido no canto superior esquerdo e uma representação do Cruzeiro do Sul do lado direito.

A diferença entre as bandeiras está na ausência da estrela de sete pontas na metade esquerda, assim como na cor do preenchimento das estrelinhas que compõem a constelação, as quais, em vez de brancas, são vermelhas — e são quatro em vez de cinco. 

10 – Índia

Criada em 1931, a bandeira acima foi adotada em meados de 1947, alguns dias antes de a independência indiana ser declarada do Reino Unido. A faixa verde representa os muçulmanos que vivem no país, enquanto o tom alaranjado simboliza os hindus. Já a faixa branca no meio indica a paz que deve existir entre os seguidores das duas religiões, e o círculo no centro, com 24 pontas, expressa a duração do dia, ou seja, 24 horas.

*Publicado em 24/8/2015

***

O Mega está concorrendo ao Prêmio Influenciadores Digitais, e você pode nos ajudar a sermos bicampeões! Clique aqui e descubra como. Aproveite para nos seguir no Instagram e se inscrever em nosso canal no YouTube

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.